Médica da rede pública adapta receita para paciente analfabeto (e vira sensação na internet)

EBC

Uma postagem nas redes sociais chamou atenção nesta quarta-feira (5). Gabriela Lemos publicou a foto de uma receita médica a um paciente analfabeto feita pela irmã, Manuela Lemos, estagiária de medicina na Unidade Básica de Saúde Condor, em Belém.

No documento, a jovem e a supervisora médica Rayssa Miranda tentam ajudar o paciente que é hipertenso e diabético a não errar o horário das medicações.

Cada medicamento ficou com uma fita amarrada, que também foi colada junto ao horário que deve ser tomado, respectivamente. A estudante também usou adesivos para lembrar de aliar as medicações às alimentações do dia.

“Hoje nos deparamos com um paciente que apesar de ter suas caixas de remédios adesivadas de acordo com o horário (…), não conseguia lembrar o significado de cada fita, e continuava tomando a medicação de forma errada. Foi então que perguntei se podia fazer para ele essa receita da foto”, explicou Manuela Gomes, no Twitter.

O atendimento foi na terça-feira (4). A professora Rayssa Miranda, segundo a estudante, teria comprado as fitinhas para ajudar os pacientes. “Ela é uma profissional que sempre ensinou que deveríamos nos preocupar em passar a mensagem para o paciente de forma clara, se preocupando de verdade com o tratamento dele”, disse.

O atendimento terminou bem, como ela disse: “Foi um trabalho conjunto, pensando no bem do paciente, que agradeceu com um sorriso de compreensão”.

Em entrevista ao G1, a médica Rayssa Miranda explicou que em uma das consultas elas perceberam que o paciente não sabia ler e tomava os remédios de forma desordenada. “Então a gente pediu para que ele voltasse com todos os medicamentos para identificar as caixas de maneira que ele entendesse melhor. Foi quando a Manuela perguntou se poderia adesivar o receituário”, conta.

“No final, ele entendeu tudo, nos abraçou, agradeceu e sorriu”, contou.

A doutora explicou que a primeira fita do receituário, prata com estrelas, é para ele lembrar do medicamento ao amanhecer, que deve ser tomado em jejum. A fita amarela para que ele tome de dia e a azul para que tome de noite.

Já a de arco-íris é para ele lembrar que o “almoço e o jantar devem ser coloridos, com legumes, proteínas e carboidratos” e os adesivos das frutas, para que ele lembrar de “comer algo leve e tomar a medicação em seguida, antes de dormir”.

(dr) Manuela Lemos

Repercussão inesperada

A doutora explicou que, antes de acabar a consulta, a estudante tirou uma foto para que servisse de modelo para outras ocasiões e ela acabou encaminhando à irmã, que postou nas redes sociais.

“Teve toda essa repercussão que a gente não esperava. Na hora a gente nem pensou que poderia ter colocado todos os horários nas próprias caixas, mas isso fica como aprendizado para o próximo atendimento. Foi uma atitude espontânea. Mas caso ele esqueça de novo, ou perca a receita, ele pode voltar quando quiser que iremos atendê-lo novamente, sem nenhum problema”, contou.

“Foi um atendimento muito emocionante, até a Manuela lagrimou”, contou.

Ciberia // G1 / Portal de Notícias

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Detectada "partícula fantasma" no Sol que confirma teoria da década de 1930

Uma equipe internacional de cientistas conseguiu, pela primeira vez, detectar diretamente a presença do ciclo carbono-nitrogênio-oxigênio (CNO) na fusão nuclear do Sol. Este ciclo representa uma das reações de fusão pelas quais as estrelas convertem hidrogênio …

Musk acertou? Tesla se aproxima dos US$ 500 bilhões de valor de mercado

Nesta segunda-feira (23), a Tesla atingiu o valor de mercado de US$ 498 bilhões. E isso em um momento em que não se sabe se a empresa vai conseguir atingir a sua meta de entregar …

Papai Noel é considerado 'trabalhador essencial' na Irlanda

Na mesma semana em que novas restrições de viagem foram colocadas em prática no Reino Unido e na Irlanda diante dos estragos causados pela segunda onda da pandemia de covid-19 na Europa, a Irlanda fez …

Especialistas da ONU advertem sobre viés racista em algoritmos

Os países devem fazer mais para combater o racismo, principalmente nos algoritmos de inteligência artificial utilizados para reconhecimento facial e controles policiais. Essas ferramentas podem reforçar discriminações, alertam especialistas da ONU. Segundo a especialista jamaicana …

Estudo de dentes de megalodonte revela segredos do tubarão de 18 metros

Especialistas em tubarões revelaram mais informações sobre um dos maiores predadores dos mares – o megalodonte. Nova pesquisa de dentes fossilizados da espécie Odotus megalodons, chamada também de megalodonte, sugere que os tubarões fêmeas desta espécie …

Escritor é alvo de censura e terá conta no Twitter suspensa por críticas contra Igreja Universal

O escritor J. P. Cuenca foi censurado por uma decisão judicial e terá sua conta do Twitter suspensa após o juiz da comarca de Campos dos Goytacazes (RJ), Ralph Machado Manhães Junior, acatar um pedido …

"Tesouro" espetacular de antigos artefatos de caça na Noruega é descoberto sob gelo derretido

Arqueólogos descobriram um “tesouro” de artefatos enquanto outra grande mancha de gelo derrete nas montanhas norueguesas, revelando um total de 68 flechas e muitos outros itens de um antigo local de caça de renas. As primeiras …

Não é mais 90%? AstraZeneca assume erro de eficácia da vacina da COVID-19

A AstraZeneca e a Universidade de Oxford, que estão desenvolvendo juntas uma vacina contra a COVID-19, revelaram na última quarta-feira (25) que houve um erro no momento da divulgação dos resultados dos testes da vacina …

6G colocaria China em posição de liderança 'inatacável' sobre EUA, diz analista

Enquanto os padrões de tecnologia 5G para redes celulares de banda larga ainda estão sendo implementados em vários países, a China recentemente lançou um satélite 6G em órbita. Descrito como o primeiro satélite 6G do mundo, …

Sri Lanka escava fosso para manter elefantes longe de lixão

Um fosso está sendo cavado ao redor de um lixão no Sri Lanka para impedir que elefantes invadam o local à procura de comida entre montes de resíduos plásticos. Os animais vão regularmente até o …