Múmias ajudam cientistas a descobrir como morreram os antigos egípcios

Raffaella Bianucci / Università degli Studi de Torino

Múmia egípcia com 4.200 anos

Múmia egípcia com 4.200 anos

Uma equipe internacional de pesquisadores analisou amostras de pele e dos músculos de três múmias com 4.200 anos e encontrou sinais de doenças que podem ter provocado as respectivas mortes.

Num estudo considerado “visionário”, conforme se destaca no artigo do Seeker.com, do grupo do Discovery News, pesquisadores de vários países analisaram três múmias do período entre 2181 a 2055 a.C..

Preservadas no Museu Egípcio em Turim, Itália, estas múmias tinham sido encontradas por arqueólogos italianos em cemitérios em Assiut e em Gebelein, no Egipto, entre 1911 e 1920.

Os pesquisadores retiraram amostras de pele e de músculos dessas múmias e encontraram vestígios de proteínas que revelam como é que terão morrido.

No artigo científico publicado na Philosophical Transaction, os autores do estudo referem que foram identificadas “um total de 230 proteínas únicas” das cinco amostras recolhidas e um “grande número de colagêneos e de queratinas”, revelando sinais de “inflamação, resposta imune e possivelmente, câncer”.

A múmia de uma mulher conhecida como Khepeshet, que foi encontrada em Assiut, revelou uma “assinatura de proteína indicadora de severa resposta imune”, conforme explica Paul Haynes, pesquisador do Departamento de Química e Ciências Biomoleculares da Universidade Macquarie, na Austrália.

O cientista envolvido no estudo assume, assim, que existe uma forte possibilidade de que essa mulher tenha morrido de uma “infecção pulmonar bacteriana, como a tuberculose“.

Também encontrada em Assiut, a múmia de um homem conhecido por Idi revelou, igualmente, indícios de uma morte por doença grave.

Haynes explica que descobriram as proteínas DMBT-1 (um supressor de tumores) e transglutaminase na amostra muscular de Idi e que isso permite especular que ele “também pode ter sofrido de câncer pancreático ou de outro tipo”. A abundância destas proteínas está geralmente, relacionada com o câncer do pâncreas, realça o Seeker.com.

Já a terceira múmia, de um indivíduo adulto encontrado em Gebelein, não revelou indícios suficientes para chegar a uma possível causa de morte.

Jana Jones, do Departamento de História Antiga da Universidade Macquarie, explica ao site que esta terceira múmia estava enterrada num tronco de árvore escavado e que, contrariamente às outras duas, preservadas dentro de caixões de madeira decorados e selados, “esteva exposta aos elementos, ao longo do tempo, e isso pode ter provocado a degradação das proteínas”.

A pesquisadora acrescenta ainda que estas três múmias são do período conhecido como a primeira “Idade Negra” do Antigo Egipto, que foi “marcada por turbulência política, condições econômicas em mudança, mega seca e fome”.

A falta de água e de comida terá enfraquecido a população, abrindo caminho para doenças infecciosas como a malária, a tuberculose e outras do foro intestinal e parasitário, tornando as pessoas mais propensas a contrair cólera e febre tifóide.

Assim, este estudo inovador permite dar “um contexto histórico a condições médicas que ainda hoje são encontradas no mundo moderno”, conclui Jones.

SV, ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Quantos anos de vida saudável os ricos ganham em relação aos pobres?

Um novo estudo europeu e americano descobriu que os ricos possuem cerca de nove anos de vida saudável a mais do que os pobres. A pesquisa foi bastante abrangente – os cientistas analisaram dados de mais …

O país sul-americano que deve crescer 14 vezes mais que a China neste ano

A Guiana ganhou na loteria e está prestes a resgatar o prêmio. Seus vizinhos, especialmente a Venezuela, aguardam intrigados para saber em que ela vai gastar. De acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), a economia …

Portugal supera marca histórica de 500 mil imigrantes residindo no país; brasileiros são a maioria

Portugal atingiu um número recorde de imigrantes vivendo no país. O anúncio foi feito pelo governo nesta quarta-feira (15), durante debate no Parlamento sobre o Orçamento de Estado para 2020. "Os dados preliminares levam a dizer …

Papa Francisco nomeia primeira mulher para cargo de alto escalão no Vaticano

Pela primeira vez, uma mulher ocupará um cargo de alto nível no Vaticano. O Papa Francisco nomeou Francesca Di Giovanni para a função de vice-ministra da Secretaria de Estado da Santa Sé, órgão equivalente ao …

Khamenei chama Trump de "palhaço" e exalta ataque a bases dos EUA

Em primeiro sermão desde 2012, líder supremo do Irã afirma que Trump finge apoio ao povo iraniano e pede união após dizer que queda de avião foi "acidente trágico". EUA admitem que militares ficaram feridos. O …

Uma desconhecida explosão de ondas gravitacionais foi detectada na Terra

Os detectores de ondas gravitacionais da Terra, os observatórios LIGO e Virgo, identificaram uma misteriosa “explosão” de ondas gravitacionais não prevista na última terça-feira, 14 de janeiro. As ondas gravitacionais detectadas até hoje foram resultado de …

Twitter pede desculpas por permitir anúncios direcionados a neonazistas

O Twitter emitiu hoje (16), um pedido de desculpas público, logo após a BBC fazer uma denúncia de que a plataforma de anúncios da empresa estava permitindo o direcionamento de conteúdo para neonazistas e outros …

SP quer lei para incentivar uso de veículos híbridos e elétricos

Um novo projeto de lei apresentado em São Paulo pretende combater os problemas ambientais provocados pelos carros à combustão, que utilizam os tão poluentes combustíveis fósseis, através do incentivo ao uso de veículos elétricos ou …

Ataques iranianos teriam deixado 11 militares dos EUA feridos

Ao menos 11 militares norte-americanos foram retirados do Iraque para receberem tratamento médico em decorrência dos ataques iranianos contra as bases dos EUA. "Quando ficarem aptos para o serviço, estes militares regressarão ao Iraque", declarou à …

Evo recua e diz que não pretende mais criar milícias

Em carta pública divulgada nesta quinta-feira (16/01), o ex-presidente da Bolívia Evo Morales, que está refugiado na Argentina há mais de um mês, recuou da ideia de promover a formação de milícias no país. "Há alguns …