Novo estudo afirma provar origem da COVID-19 em laboratório de Wuhan

Um professor universitário britânico e um virologista norueguês afirmam que têm “provas” da origem artificial do novo coronavírus e que ele foi criado no laboratório de Wuhan, segundo o tabloide Daily Mail.

Os cientistas chineses desenvolveram o SARS-CoV-2 no Instituto de Virologia de Wuhan. Depois tentaram “esconder seus rastros” de maneira a que todas as provas indicassem a origem natural do vírus, de acordo com Angus Dalgleish, professor na St Georges Hospital Medical School da Universidade de Londres e Birger Sorensen, presidente da farmacêutica Immunor.

Dalgleish e Sorensen analisaram os experimentos de cientistas do laboratório de Wuhan entre 2002 e 2019. Concluíram que os cientistas chineses, inclusive em conjunto com universidades norte-americanas, supostamente desenvolveram os mecanismos de criação do SARS-CoV-2.

Grande parte do trabalho dos especialistas de Wuhan foi focada em torno da controversa pesquisa “Ganho de Função”.

Os cientistas tentaram criar um vírus mais contagioso, para que se reproduzisse mais rápido em células humanas. Isso era necessário para estudar melhor o impacto potencial do coronavírus nos humanos, de acordo com Dalgleish e Sorensen.

Os cientistas chineses pegaram o coronavírus de morcegos como base, e depois “acrescentaram” um novo espinho, tornando o vírus SARS-CoV-2 mais contagioso e mortal. Uma das características principais que confirma a teoria é uma sequência de quatro aminoácidos que Dalgleish e Sorensen encontraram no espinho do coronavírus.

O virologista norueguês explicou que todos os aminoácidos possuem carga eléctrica positiva, o que permite ao vírus se juntar às partículas negativas de células humanas, como um ímã, e assim se tornar mais infeccioso.

Tal como os ímãs, os aminoácidos de carga positiva se repelem, por isso em vírus de origem natural raramente há sequência de três aminoácidos. Quatro aminoácidos em uma sequência é algo “extremamente pouco provável“, concluiu Sorensen.

Em março de 2021, um relatório da OMS elaborado em colaboração com as autoridades chinesas insistiu que é “extremamente improvável” que o coronavírus tenha escapado do laboratório chinês de pesquisa em Wuhan.

No entanto, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu a continuação da investigação sobre um possível vazamento do coronavírus a partir do laboratório.

Anteontem, 27 de maio, a Embaixada da China nos Estados Unidos apelou para uma investigação completa sobre a COVID-19 e condenou a politização do assunto.

A declaração chinesa foi feita após o presidente norte-americano, Joe Biden, ter ordenado aos serviços de inteligência dos EUA para intensificarem seus esforços a fim de estabelecer a origem do coronavírus. Biden não excluiu a possibilidade do vírus ter vazado de um laboratório chinês.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Fábrica russa eliminará deficiências na produção da Sputnik V de acordo com recomendações da OMS

Em resultado de inspeções efetuadas na Rússia, o grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde fez várias observações sobre a fabricação da vacina Sputnik V. Estas são ligadas principalmente à proteção do meio ambiente …

Brasil ultrapassa Índia e volta a ser líder mundial em mortes diárias por coronavírus

Em meio ao avanço da terceira onda da pandemia, o Brasil ultrapassou a Índia e voltou à liderança do número de mortes diárias por covid-19 registradas, em média. São mais de 2.000 óbitos registrados por …

Rajadas rápidas de rádio ajudarão a mapear distribuição de matéria no universo

O novo levantamento dos dados coletados pelo radiotelescópio CHIME (Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment) resultou em mais de 500 rajadas rápidas de rádio devidamente catalogadas, todas feitas durante o primeiro ano de atuação do telescópio. Agora, …

Lider da UE chama lei húngara anti-LGBT de vergonha

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, afirma que vai usar poderes de que dispõe para garantir direitos de todos os cidadãos do bloco. Países pediram à UE que agisse. A presidente da Comissão Europeia, …

Apesar de ter vacinado mais da metade da população, Israel teme 2ª onda de Covid

O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, alertou nesta terça-feira que o país pode enfrentar uma nova onda de coronavírus. Segundo ele, o aumento do número de doentes, causado pela chegada da variante Delta, “importada” por …

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …