Ocupantes de prédio abandonado há quase 30 anos são condenadas a pagar multa em Curitiba

Tomaz Silva / Agência Brasil

-

A Justiça Federal determinou que duas integrantes de movimentos por moradia popular paguem uma multa pela ocupação de um prédio do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), abandonado há quase 30 anos. Hilma de Lourdes Santos e Maria das Graças de Souza terão que pagar quase R$ 2 mil, além de prestar trabalhos comunitários. 

O imóvel está localizado no Centro da capital dos paranaenses e foi ocupado por cerca de 120 famílias em abril de 2015.  Na época da ocupação, o local abrigava apenas materiais inutilizados do Instituto, como cadeiras e computadores quebrados. As pessoas tiveram que sair do local duas semanas depois, após uma liminar de despejo.

Mesmo após a saída dos ocupantes, a Polícia Federal abriu um inquérito para apurar a responsabilidade de lideranças da União Nacional por Moradia Popular (UNMP) e do Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM) no caso.

Segundo Maria das Graças, coordenadora da UNMP no Paraná, a determinação da 14ª Vara do Juizado Especial Federal foi dada sem que as duas militantes fossem ouvidas.

Fomos condenadas já no primeiro momento a pagar uma multa, para encerrar o processo. O juiz hoje mal dá uma olhada, não conhece, não vai a fundo em um processo. Primeiro eles condenam, para depois julgar”, conta.

Integrante do Movimento Nacional de Luta pela Moradia, Hilma também diz que se surpreendeu com a decisão: “passei a ser criminalizada por lutar por um direito que é de todos”.

História antiga

Localizado na Rua Marechal Deodoro, no centro de Curitiba, o prédio do INSS já havia sido ocupado outras duas vezes em seis anos. Os movimentos sociais reivindicavam que o imóvel fosse destinado para moradia popular. Durante a primeira ocupação, em 2009, os ocupantes conseguiram um acordo para que o prédio fosse adquirido pelo Governo Federal para ser transformado em Habitação de Interesse Social.

Quando o imóvel foi liberado para a venda, uma negociação entre Superintendência do Patrimônio da União, Ministério das Cidades e o movimento de moradia acordou a compra de outro local.

O prédio anteriormente reivindicado deveria ser transformado em um Centro de Saúde para Servidores Públicos Federais. Com o acordo, um novo imóvel situado na Rua José Loureiro foi adquirido pela Superintendência do Patrimônio da União, por R$ 2,4 milhões.

No entanto, o novo prédio foi declarado impróprio para habitação. Com a falta de ações do poder público, o movimento de moradia voltou a ocupar o prédio, em 2011 e 2015. Apesar da reivindicação das famílias, Hilma fala que o local continua sem cumprir sua função social. “Ainda hoje está lá, como almoxarifado”, alega.

 

DEIXE UMA RESPOSTA:

-

Hospital brasileiro adquire seu segundo robô cirurgião

O Hospital 9 de julho, de São Paulo, adquiriu segunda unidade de robô que realiza cirurgias complexas. O robô chamado “Da Vinci” auxilia os profissionais de saúde durante as cirurgias videolaparoscópicas robô-assistida. Entretanto, todo controle do …

-

Cientistas descobrem novo mecanismo para crescimento de cabelos

Pesquisadores da Universidade da Califórnia em San Francisco, nos EUA, descobriram que células T regulatórias, um tipo de célula imunológica geralmente associada ao controle da inflamação, desencadeia diretamente células-tronco na pele para promover o crescimento …

O terrorista suicida de Manchester, Salman Abedi

Polícia de Manchester revela fotografia do terrorista na noite do atentado

A polícia britânica revelou imagens das câmeras de vigilância, nas quais aparece o suposto autor do atentado terrorista de Manchester, Salman Abedi, informou o jornal Manchester Evening News. Segundo a polícia, as imagens foram registradas algumas horas …

-

Casa Branca estuda que advogados supervisionem tuítes de Trump

Casa Branca estuda pôr em mãos de advogados a supervisão das polêmicas mensagens que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, publica na sua conta do Twitter habitualmente, segundo informou "The Wall Street Journal". Este jornal, …

"Gabriel e a Montanha", Fellipe Gamarano Barbosa (2017)

Filme brasileiro “Gabriel e a montanha” recebe dois prêmios em Cannes

Produção conquistou o Prêmio Revelação France 4, por criatividade e inovação, além da premiação oferecida pela Fundação Gan, de apoio à distribuição. O longa-metragem “Gabriel e a montanha”, de Fellipe Barbosa, recebeu, nesta quinta-feira (25), dois …

Nova camada de placas tectônicas foi descoberta abaixo de Tonga, no Pacífico

Placas tectônicas recém-descobertas podem explicar terremotos misteriosos no Pacífico

Dentro do manto terrestre, uma imensa camada rochosa que fica entre a crosta e o núcleo da Terra, há uma nova camada de placas tectônicas, diz um novo estudo da Universidade de Houston, no Texas. E …

Airlander 10, o “bumbum voador gigante”

Maior aeronave do mundo registra terceiro voo bem sucedido

O Airlander 10, maior aeronave do mundo, conseguiu completar seu terceiro voo bem sucedido. Apelidado de "bumbum gigante", o híbrido de avião e dirigível ficou no ar por cerca de 180 minutos nesta sexta-feira (26). De …

-

Cérebro começa a devorar literalmente a si mesmo se não dormimos o suficiente

De acordo com um estudo da Universidade Politécnica de Marche, na Itália, nossos cérebros literalmente começam a devorar a si mesmos quando não dormimos o suficiente. A razão pela qual dormimos vai além de repor nossos …

Mulher gorda talvez obesa a ler na feira do livro do metro em São Paulo

Cientistas produzem anticorpo que pode impedir aumento de peso na menopausa

Um grupo internacional de cientistas dos EUA, Holanda, China e Reino Unido, conseguiu selecionar um anticorpo que aumenta a massa óssea e reduz a gordura corporal de cobaias na menopausa. Segundo os especialistas, após a menopausa …

-

China deixa de ser nação mais populosa do mundo

A Índia pode já ter superado a China como o país mais populoso do mundo. Entretanto, estas conclusões provocam dúvidas entre os demógrafos. O acadêmico Yi Fuxian, pesquisador da Universidade de Wisconsin-Madison, nos EUA, disse na …