Paisagem natural, que pensava-se ter sido destruída por erupção vulcânica, é encontrada na Nova Zelândia

Wikimedia / Charles Blomfield

Pintura dos terraços branco e rosa do Lago Rotomahana

Pintura dos terraços branco e rosa do Lago Rotomahana

Um grupo de pesquisadores diz ter descoberto os terraços branco e rosa do Lago Rotomahana, uma paisagem natural da Nova Zelândia que se pensava ter sido destruída por uma erupção vulcânica em 1886.

Os terraços estavam localizados em margens opostas do Rotomahana, a cerca de dez quilômetros do monte Tarawera, e formavam piscinas naturais de água quente. Um era branco, enquanto que o outro, devido a alguma reação química desconhecida, apresentava uma tonalidade cor-de-rosa.

“Os terraços se tornaram a maior atração turística do hemisfério sul e do império britânico e vários navios cheios de turistas fizeram uma perigosa visita a partir do Reino Unido, Europa e América para os verem. Mas nunca foram controlados pelo governo, por isso não há registros da latitude ou longitude, explicou Rex Bunn, citado pelo The Guardian.

Rex Bunn e Sascha Nolden acreditam que os terraços não foram destruídos, como sugeriram as pesquisas anteriores, mas foram enterrados entre 10 a 15 metros abaixo da superfície, sob camadas de lama e cinzas, sendo necessário um levantamento arqueológico completo para escavar o local.

Os especialistas usaram os diários do geólogo alemão-austríaco Ferdinand von Hochstetter, que contêm uma descrição detalhada da localização dos terraços antes da erupção de 1886, para estabelecer sua localização provável.

“A nossa pesquisa se baseou na única investigação já feita sobre esse local da Nova Zelândia e, portanto, estamos confiantes de que a cartografia é sólida. Hochstetter era um cartógrafo muito competente”, disse Bunn.

O novo estudo foi publicado recentemente no Journal of the Royal Society of New Zealand, e Rex Bunn diz ter recebido várias ofertas de ajuda para realizar uma investigação e estava no processo de reunir uma equipe para começar a explorar o local, uma vez que o primeiro objetivo de financiamento já tinha sido cumprido.

De acordo com Bunn, os terraços podem estar em condições “razoáveis” de conservação, pelo que as escavações permitirão ver como era esta antiga maravilha natural. “Queremos realizar este trabalho para o interesse público. Tenho estado em contato com os proprietários da terra, a Autoridade Tribal Tuhourangi, e eles estão solidários e encantados com o trabalho“, destacou o especialista.

Mas esta não é a primeira vez que cientistas alegam terem descoberto os terraços. Em 2011, um grupo disse tê-los encontrado enterrados no lodo no fundo do lago.

E, no ano passado, a GNS Science New Zealand revelou que, após cinco anos de pesquisa, uma equipe de cientistas da Nova Zelândia chegou à “conclusão inevitável” de que a maioria dos terraços tinha sido destruída pela erupção.

Rex Bunn disse que estava em discussões com a GNS e acreditava que suas conclusões eram baseadas em 130 anos de informações cartográficas pouco rigorosas.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Pessoas feias superestimam drasticamente suas aparências

Pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência. Não faltam disparidades entre pessoas atraentes e pouco atraentes. Estudos mostram que os mais belos entre nós …

Noruega acusa Pequim de ciberataque contra serviços do governo

Pela primeira vez na história, o Serviço de Segurança Policial da Noruega (PST, na sigla em inglês) identificou a China como sendo responsável por um ataque hacker contra as autoridades do país nórdico. A agência de …

China supera marca de 1 bilhão de vacinas contra a covid-19 aplicadas

Quantia representa mais de um terço das doses aplicadas no mundo. Após início lento da imunização, autoridades chinesas querem vacinar completamente 40% da população até o final de junho. O número de doses de vacinas contra …

Brasileiros protestam no exterior contra Bolsonaro e gestão da epidemia

Dezenas de milhares de pessoas tomaram as ruas de várias capitais brasileiras neste sábado para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro e sua gestão da pandemia, que já deixou mais de meio milhão de …

Relíquia do Jurássico: descoberto animal marinho cuja espécie vive há 180 milhões de anos

Um grupo de pesquisadores descreveu uma nova espécie de ofíuros – um animal marinho parecido com as estrelas-do-mar, que recebeu o nome de Ophiojura, informou nesta quinta-feira (17) Tim O’Hara, curador dos Museus Victoria (Austrália) …

Projeto de estrada cortando parque das cataratas de Iguaçu ameaça outras áreas de proteção pelo Brasil

Uma das paisagens naturais mais impressionantes do Brasil e reconhecida pela Unesco, o Parque Nacional do Iguaçu, que abriga as cataratas, no Paraná, pode ser cortado ao meio por uma rodovia asfaltada – em …

Por que a imunidade de rebanho está longe de ser realidade

Embora costume ser apresentada como simples cálculo matemático, alcançar a imunidade de rebanho não é tarefa fácil. Ela não só depende da infecciosidade das variantes, como da adoção de medidas sanitárias pela população. Apesar das campanhas …

Uso de maconha na adolescência pode atrapalhar o desenvolvimento do cérebro

O consumo de maconha pode ser prejudicial ao cérebro humano durante a adolescência, de acordo com estudo publicado na última quarta-feira (16). Segundo a pesquisa, realizada em regiões da Europa, o uso recreativo da planta pode …

EUA terão feriado para comemorar fim da escravidão

Data já celebrada na maioria dos estados vai se tornar feriado federal. O "Juneteenth" lembra dia em que os últimos escravos negros foram libertados no país, em 1865. Após aprovação pelo Congresso dos Estados Unidos na …

5 perguntas sobre os denisovanos, 'parentes' extintos dos humanos modernos que viveram na Terra há 50 mil anos

Desde que os primeiros vestígios dos denisovanos foram descobertos em 2008, os cientistas não descansaram tentando obter mais informações sobre eles. A tarefa, no entanto, não tem sido fácil, porque até agora só foram encontrados pequenos …