Primeiro dinossauro identificado “ganha” nova cara 200 anos depois

Universidade de Warwick / Mark Garlick

Ilustração da forma como os paleontólogos antigos acreditavam que o Megalosaurus era (direita), em comparação com o que se acha agora sobre o dinossauro (esquerda).

Ilustração da forma como os paleontólogos antigos acreditavam que o Megalosaurus era (direita), em comparação com o que se acha agora sobre o dinossauro (esquerda).

Graças a tecnologia de ponta, o primeiro fóssil de dinossauro identificado cientificamente há mais de 200 anos ganhou uma nova cara, com a descoberta de cinco dentes que não tinham sido vistos até agora.

Pesquisadores da Universidade de Warwick e do Museu de História Natural da Universidade de Oxford, no Reino Unido, conseguiram detectar cinco dentes que ainda não tinham sido vistos na mandíbula do Megalosaurus, ou “Grande Lagarto”, como também é conhecido, usando uma tecnologia de tomografia computorizada de última geração.

O professor Mark Williams, da Universidade de Warwick, que liderou a pesquisa, conseguiu criar uma imagem em três dimensões do fóssil, depois de ter tido acesso a mais de 3 mil imagens de raios-X das mandíbulas do dinossauro – com a ajuda de especialistas em análise 3D.

Dessa forma, foi possível visualizar a mandíbula por dentro pela primeira vez, detectando as raízes dos dentes que cresciam quando o animal morreu, explica a Universidade de Warwick em comunicado.

Também foi possível encontrar restos de dentes velhos e usados e pequenos dentes recém-nascidos. “Conseguir usar tecnologia de ponta normalmente reservada para a engenharia aeroespacial e automotiva para digitalizar um espécime tão raro e icônico da história natural foi uma oportunidade fantástica“, diz Mark Williams.

“Quando estava crescendo, era fascinado pelos dinossauros e me lembro, claramente, de ver imagens da mandíbula do Megalosaurus em livros que li. Ter acesso e digitalizar a coisa real foi uma experiência incrível”, assume o professor.

O fóssil está exposto no Museu de História Natural da Universidade de Oxford junto de outros ossos do esqueleto do Megalosaurus.

O “Grande Lagarto” era um dinossauro carnívoro que viveu no Jurássico Médio, há cerca de 167 milhões de anos, e teria 9 metros de altura e um peso de cerca de 1.400 kg.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Cientistas criam embriões que são parte humanos, parte macacos

Pela primeira vez, cientistas criaram embriões que são uma mistura de células humanas e macacos. Os embriões, descritos quinta-feira na revista Cell, foram criados em parte para tentar encontrar novas formas de produzir órgãos para pessoas …

Criatura misteriosa em árvore que assustou moradores em cidade da Polônia era croissant

Quando autoridades polonesas receberam o chamado de que um animal incomum estava escondido em uma árvore da cidade de Cracóvia, não sabiam o que esperar. "As pessoas não estão abrindo as janelas porque estão com medo …

"Os Simpsons": Hank Azaria se desculpa por dar voz ao personagem indiano Apu

O ator e dublador Hank Azaria pediu desculpas por sua contribuição ao racismo estrutural contra a população indiana. Azaria, que é branco, foi a voz por trás do personagem Apu Nahasapeemapetilon no desenho animado Os Simpsons …

STF confirma anulação das condenações de Lula na Lava Jato

Plenário do Supremo referenda decisão de Fachin que considerou a 13ª Vara Federal de Curitiba incompetente para julgar ações contra o ex-presidente. Com isso, petista retoma o direito de disputar eleições em 2022. O plenário do …

Biden: EUA estão prontos para mais medidas se Rússia continuar a interferir na nossa democracia

Em discurso nesta quinta-feira (15), o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse que notificou o presidente russo, Vladimir Putin, de que seu governo poderia ter tomado mais medidas contra a Rússia, mas preferiu ser …

Eurodeputados defendem que Bolsonaro seja responsabilizado por necropolítica

O embaixador brasileiro na União Europeia, Marcos Galvão, pediu nesta quinta-feira "vacinas, vacinas e vacinas" para tirar o Brasil "da situação desastrosa" em que se encontra. Durante audiência com deputados do Parlamento Europeu, em …

Robô em forma de estrela vai estudar o fundo do mar

Cientistas do MIT criaram uma estrela-do-mar robótica, que consegue nadar pela vizinhança sem chamar muita atenção. Um dos principais problemas enfrentados pelos robôs marinhos é que eles não se parecem com peixes ou com alguma outra …

Famosa rajada rápida de rádio revela magnetosfera 'dançante' em estrela de nêutrons, diz estudo

Dois novos estudos holandeses revelam informações sobre a famosa rajada rápida de rádio FRB20180916B. Embora os artigos forneçam detalhes antes desconhecidos, eles também levantam questões inéditas. Duas equipes internacionais de astrônomos publicaram dois artigos científicos com …

Bolsonaro é 'grande responsável' por 'desastre' de covid, diz vice-presidente de delegação do Parlamento Europeu para o Brasil

Na visão da alemã Anna Cavazzini, eurodeputada pelo Partido Verde e vice-presidente da delegação do Parlamento Europeu para assuntos relacionados ao Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem "grande parcela de responsabilidade" pela crise …

Lockdown efetivo e vacinação em massa viabilizam reabertura de pubs no Reino Unido

O Reino Unido está colhendo os frutos de um lockdown efetivo e da vacinação em massa promovida pelo gestão de Boris Johnson para frear o avanço da pandemia de covid-19. O país celebra agora o relaxamento …