Por que o príncipe da Arábia Saudita hackeou celular de Jeff Bezos, segundo investigação da ONU

(dr) European CEO

Jeff Bezos, CEO da Amazon

Uma intriga internacional envolve, desde 2018, o homem mais rico do mundo e uma ditadura ultrafechada acusada de matar seus inimigos com requintes de crueldade. E, agora, o caso está sendo investigado por especialistas em direitos humanos da ONU.

Segundo essa investigação, Jeff Bezos — dono da gigante Amazon e do jornal The Washington Post — recebeu, em maio de 2018, uma mensagem de WhastApp da conta pessoal de Mohammed bin Salman (conhecido como MBS), príncipe herdeiro da Arábia Saudita, considerado um dos regimes mais rígidos do mundo.

Os dois haviam se encontrado algumas semanas antes em uma festa. Na mensagem de WhatsApp vinda do príncipe saudita, diz a apuração da ONU, havia um arquivo de vídeo em MP4 que continha um “malware” — um arquivo malicioso que hackeou o celular de Bezos e extraiu dezenas de arquivos do aparelho.

Um contexto importante nessa história: na época da invasão do telefone de Bezos, seu jornal, o Washington Post, publicava regularmente as colunas do jornalista Jamal Khashoggi, fervoroso crítico do regime saudita.

Khashoggi foi morto poucos meses depois desse episódio, em outubro de 2018, dentro do consulado da Arábia Saudita em Istambul. Como seu corpo desapareceu, as autoridades turcas concluíram que ele foi esquartejado e dissolvido em ácido.

Fontes da CIA (agência de inteligência americana) ouvidas pela agência Reuters naquele ano acreditavam que Mohammed Bin Salman havia ordenado a morte de Khashoggi. O príncipe negou e afirmou que a morte do jornalista havia sido ordenada por oficiais sauditas agindo por conta própria.

Desde então, cinco pessoas foram condenadas à morte na Arábia Saudita pelo caso Khashoggi — algo que a ONU considerou uma “farsa”.

‘Influenciar ou silenciar o Washington Post’

Da mesma forma, o regime saudita negou ter invadido o celular de Bezos, afirmando se tratar de uma acusação “absurda”.

“A ideia de que o príncipe herdeiro hackearia o telefone de Bezos é absolutamente tola“, afirmou à Reuters o chanceler saudita, príncipe Faisal Bin Farhan Al Saud.

No entanto, comunicado emitido nesta quarta-feira (22/01) por Agnes Callamard, relatora especial da ONU sobre execuções extrajudiciais, e David Kaye, relator especial da ONU sobre liberdade de expressão, afirmaram terem recebido uma análise forense de 2019 que dizia, com “nível médio a alto de confiança”, que o celular do bilionário americano fora alvo de “extrações (de arquivos) sem precedentes” poucas horas depois de ter recebido o vídeo enviado pela conta pessoal do príncipe saudita.

A análise forense do celular indicou que ele foi hackeado por um malware que “segundo foi amplamente reportado, havia sido comprado e utilizado por oficiais sauditas” e “é alvo de um processo judicial movido pelo Facebook/WhatsApp” contra o NSO Group, criador do malware.

“A informação que recebemos indica o possível envolvimento do príncipe herdeiro na espionagem de Bezos, em uma tentativa de influenciar, senão silenciar, a cobertura do Washington Post sobre a Arábia Saudita”, dizem os relatores da ONU, pedindo “investigação imediata pelos EUA e outras autoridades relevantes.”

Vida pessoal de Bezos

Segundo a ONU, a invasão no celular de Bezos teria permitido aos hackers extrair informações de cunho pessoal do bilionário.

Entra aqui mais um agente na intriga: o tabloide americano National Enquirer, próximo tanto do presidente americano Donald Trump quanto do regime saudita.

Em fevereiro de 2019, Bezos fez um post público acusando o National Enquirer de chantageá-lo com a publicação de fotos e informações sobre um suposto caso extraconjugal seu.

Um investigador contratado por Bezos concluiu, no mês seguinte, que o material pessoal teria sido fornecido pelos sauditas ao National Enquirer.

“Nossa investigação e diversos especialistas concluíram, com alto grau de confiança, que os sauditas tiveram acesso ao telefone de Bezos e obtiveram informação confidencial”, escreveu o investigador, Gavin de Becker, em março do ano passado.

O tabloide, por sua vez, afirmou que obteve os dados de outra fonte.

Há, porém, registros obtidos pelo jornal The New York Times de que o príncipe MBS tenha se encontrado com David Pecker, executivo-chefe do National Enquirer, em setembro de 2017.

Além disso, segundo os relatores especiais da ONU, a invasão do celular de Bezos “é reforçada por outras evidências de sauditas que alvejaram dissidentes e pessoas que consideravam oponentes”.

“Cabe aos EUA e à comunidade internacional dizerem ‘basta'”, disse, segundo a Reuters, a relatora Agnes Callamard. “Esse tipo de comportamento, incluindo no mais alto nível de governo, é absolutamente inaceitável e não deve ser tolerado.”

A mesma Callamard foi quem, em junho de 2019, liderou a investigação da ONU em Istambul que concluiu que a morte de Khashoggi havia sido premeditada e que o príncipe MBS deveria ser investigado pelo caso.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Demi Lovato vai comandar programa de TV investigativo sobre OVNIs

A atriz e cantora Demi Lovato está prestes a se aventurar em um desafio de outro mundo. A artista anunciou na última semana a sua participação em uma série limitada para a plataforma de streaming …

CPI da Covid: como 'isolamento vertical' pode virar arma contra Bolsonaro

Uma das linhas de investigação da CPI da Covid apura se o governo federal adotou a estratégia da imunidade de rebanho, ou seja, a obtenção da imunidade coletiva por meio da infecção da população, no …

Astrônomos continuam encontrando inexplicáveis anéis circulares misteriosos no céu

Nos últimos anos, astrônomos avistaram vários objetos de rádio gigantescos e quase perfeitamente circulares no universo distante. Embora ninguém tenha uma explicação para essas entidades misteriosas ainda, uma equipe adicionou recentemente outra ao seu catálogo, …

Conflito tem seu dia mais sangrento em Gaza

Bombardeios israelenses deixam pelo menos 42 palestinos mortos e elevam total de vítimas a 188. Netanyahu diz que ataques continuarão. Sem um cessar-fogo à vista, o atual conflito entre Israel e Hamas teve neste domingo (16/05) …

Apple é acusada de enganar usuários através de aplicativos fraudulentos na App Store

A Apple segue batendo recordes financeiros. No entanto, escândalos um atrás do outro aumentam a preocupação em torno da App Store. Após chamar a atenção internacional com as recentes revelações sobre a existência de cassinos ocultos …

Chile escolhe representantes para elaborar nova Constituição

O domingo foi o último dia de votação no Chile para a escolha dos redatores da nova Constituição do país. Os 155 representantes eleitos terão a tarefa de mudar o texto herdado da ditadura. …

China consegue pousar veículo não tripulado em Marte

A China conseguiu neste sábado pousar um veículo autônomo não tripulado em Marte. A fase final da operação Tianwen-1 aconteceu sem falhas, informou a TV estatal chinesa, que transmitiu um programa especial chamado Alo …

Lewandowski permite que Pazuello fique em silêncio na CPI

Ex-ministro da Saúde será obrigado a comparecer ao depoimento, mas não precisará responder perguntas que possam incriminá-lo. No entanto, será obrigado a falar a verdade em fatos e questões relacionados a terceiros. O ministro do Supremo …

Como o coronavírus afeta o fígado

O SARS-CoV-2, vírus causador da covid-19, mudou completamente a cara do mundo que conhecíamos até então. Ele afetou praticamente todos os aspectos da vida cotidiana e causou mudanças substanciais nas ciências da saúde e, portanto, na …

'Síndrome de Havana': lesão cerebral atinge ao menos 130 diplomatas e oficiais americanos, dizem EUA

Diplomatas, agentes da CIA e oficiais de defesa dos EUA relataram sintomas graves da perturbação conhecida como "síndrome de Havana" nas últimas semanas. O elevado número de casos causa espanto. Nas últimas semanas, foram relatados mais …