Por que o príncipe da Arábia Saudita hackeou celular de Jeff Bezos, segundo investigação da ONU

(dr) European CEO

Jeff Bezos, CEO da Amazon

Uma intriga internacional envolve, desde 2018, o homem mais rico do mundo e uma ditadura ultrafechada acusada de matar seus inimigos com requintes de crueldade. E, agora, o caso está sendo investigado por especialistas em direitos humanos da ONU.

Segundo essa investigação, Jeff Bezos — dono da gigante Amazon e do jornal The Washington Post — recebeu, em maio de 2018, uma mensagem de WhastApp da conta pessoal de Mohammed bin Salman (conhecido como MBS), príncipe herdeiro da Arábia Saudita, considerado um dos regimes mais rígidos do mundo.

Os dois haviam se encontrado algumas semanas antes em uma festa. Na mensagem de WhatsApp vinda do príncipe saudita, diz a apuração da ONU, havia um arquivo de vídeo em MP4 que continha um “malware” — um arquivo malicioso que hackeou o celular de Bezos e extraiu dezenas de arquivos do aparelho.

Um contexto importante nessa história: na época da invasão do telefone de Bezos, seu jornal, o Washington Post, publicava regularmente as colunas do jornalista Jamal Khashoggi, fervoroso crítico do regime saudita.

Khashoggi foi morto poucos meses depois desse episódio, em outubro de 2018, dentro do consulado da Arábia Saudita em Istambul. Como seu corpo desapareceu, as autoridades turcas concluíram que ele foi esquartejado e dissolvido em ácido.

Fontes da CIA (agência de inteligência americana) ouvidas pela agência Reuters naquele ano acreditavam que Mohammed Bin Salman havia ordenado a morte de Khashoggi. O príncipe negou e afirmou que a morte do jornalista havia sido ordenada por oficiais sauditas agindo por conta própria.

Desde então, cinco pessoas foram condenadas à morte na Arábia Saudita pelo caso Khashoggi — algo que a ONU considerou uma “farsa”.

‘Influenciar ou silenciar o Washington Post’

Da mesma forma, o regime saudita negou ter invadido o celular de Bezos, afirmando se tratar de uma acusação “absurda”.

“A ideia de que o príncipe herdeiro hackearia o telefone de Bezos é absolutamente tola“, afirmou à Reuters o chanceler saudita, príncipe Faisal Bin Farhan Al Saud.

No entanto, comunicado emitido nesta quarta-feira (22/01) por Agnes Callamard, relatora especial da ONU sobre execuções extrajudiciais, e David Kaye, relator especial da ONU sobre liberdade de expressão, afirmaram terem recebido uma análise forense de 2019 que dizia, com “nível médio a alto de confiança”, que o celular do bilionário americano fora alvo de “extrações (de arquivos) sem precedentes” poucas horas depois de ter recebido o vídeo enviado pela conta pessoal do príncipe saudita.

A análise forense do celular indicou que ele foi hackeado por um malware que “segundo foi amplamente reportado, havia sido comprado e utilizado por oficiais sauditas” e “é alvo de um processo judicial movido pelo Facebook/WhatsApp” contra o NSO Group, criador do malware.

“A informação que recebemos indica o possível envolvimento do príncipe herdeiro na espionagem de Bezos, em uma tentativa de influenciar, senão silenciar, a cobertura do Washington Post sobre a Arábia Saudita”, dizem os relatores da ONU, pedindo “investigação imediata pelos EUA e outras autoridades relevantes.”

Vida pessoal de Bezos

Segundo a ONU, a invasão no celular de Bezos teria permitido aos hackers extrair informações de cunho pessoal do bilionário.

Entra aqui mais um agente na intriga: o tabloide americano National Enquirer, próximo tanto do presidente americano Donald Trump quanto do regime saudita.

Em fevereiro de 2019, Bezos fez um post público acusando o National Enquirer de chantageá-lo com a publicação de fotos e informações sobre um suposto caso extraconjugal seu.

Um investigador contratado por Bezos concluiu, no mês seguinte, que o material pessoal teria sido fornecido pelos sauditas ao National Enquirer.

“Nossa investigação e diversos especialistas concluíram, com alto grau de confiança, que os sauditas tiveram acesso ao telefone de Bezos e obtiveram informação confidencial”, escreveu o investigador, Gavin de Becker, em março do ano passado.

O tabloide, por sua vez, afirmou que obteve os dados de outra fonte.

Há, porém, registros obtidos pelo jornal The New York Times de que o príncipe MBS tenha se encontrado com David Pecker, executivo-chefe do National Enquirer, em setembro de 2017.

Além disso, segundo os relatores especiais da ONU, a invasão do celular de Bezos “é reforçada por outras evidências de sauditas que alvejaram dissidentes e pessoas que consideravam oponentes”.

“Cabe aos EUA e à comunidade internacional dizerem ‘basta'”, disse, segundo a Reuters, a relatora Agnes Callamard. “Esse tipo de comportamento, incluindo no mais alto nível de governo, é absolutamente inaceitável e não deve ser tolerado.”

A mesma Callamard foi quem, em junho de 2019, liderou a investigação da ONU em Istambul que concluiu que a morte de Khashoggi havia sido premeditada e que o príncipe MBS deveria ser investigado pelo caso.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Confira o que cérebro de abelhas tem em comum com o de humanos

Segundo cientistas, existem semelhanças entre a atividade cerebral das abelhas-europeias e a dos humanos, o que poderia levar abelhas a serem usadas para estudar funções cerebrais dos humanos. As oscilações alfa (a atividade eléctrica gerada pelo …

Síndrome bizarra: esse é o primeiro caso de uma pessoa que urina álcool

Médicos do hospital da Universidade de Pittsburgh Medical Center (EUA) relataram o primeiro caso de uma síndrome bizarra na qual a pessoa urina álcool. Em outras palavras, o álcool se forma naturalmente na sua bexiga, …

Amazon abre seu primeiro supermercado que não aceita dinheiro

Dois anos depois de a Amazon inovar no ramo das lojas de conveniência abrindo a sua própria rede que aceita apenas pagamentos virtuais, a empresa está pronta para dar o próximo passo: nesta terça-feira (25), …

Não há motivo para pânico por coronavírus no Brasil, dizem especialistas

O primeiro caso do novo coronavírus no Brasil, confirmado nesta quarta-feira (26/02), levou o estado de São Paulo, onde reside o paciente infectado, a montar um centro de contingência para enfrentamento da doença. Quatro mil leitos, …

Abolição da pena de morte no Colorado entra em vigor em julho

O Colorado, no oeste americano, se tornou o vigésimo segundo estado dos Estados Unidos a abolir a pena capital, depois de um intenso e longo debate, especialmente por parte da oposição republicana. O fim da …

Cannabis tem potencial terapêutico como antibiótico, segundo cientistas

Uma equipe de cientistas da Universidade McMaster, no Canadá, estabeleceu que o canabigerol (CBG) tem potencial no tratamento de bactérias patogênicas. Cientistas da Universidade McMaster no Canadá identificaram um composto antibacteriano gerado pela maconha que poderia …

Escócia será o primeiro país a distribuir absorventes menstruais gratuitamente

O Parlamento autônomo da Escócia deu um passo em direção à gratuidade dos absorventes higiênicos para mulheres - decisão inédita no mundo. A proposta de lei foi votada por 112 deputados e visa lutar contra …

Não precisa sofrer. Carnaval começa cedo em 2021

Com a chegada da quarta-feira de Cinzas, está declarado o fim do Carnaval 2020… Ok, vai… Dá para fazer mais um bota fora na sexta e sábado dessa semana, pois, como sempre, brasileiro dá o …

Coronavírus: antiga vacina pode ter resposta para prevenção contra Covid-19

Novos casos do coronavírus SARS-CoV-2 continuam a se espalhar pelo mundo, mesmo que em velocidade menor de propagação, e sem nenhuma vacina ou medicamento para a prevenção — pelo menos até agora. Já são mais de …

Líderes políticos condenam apoio de Bolsonaro a ato anti-Congresso

Presidente teria compartilhado com aliados convocação para manifestações a seu favor e contra o Legislativo. Lula, FHC, OAB e outras lideranças alertam contra ameaça às instituições democráticas e à Constituição. Líderes políticos de várias correntes e …