Putin e Zelenski anunciam cessar-fogo na Ucrânia

Konstantin Zavrajin / Kremlin / Sputnik / EPA

O presidente da Rússia, Vladimir Putin

Em cúpula em Paris, presidentes concordam em retomar processo de paz e prometem troca de todos os prisioneiros até o fim deste ano. Apesar de avanços, divergências sobre eleições em regiões separatistas permanecem.

Os presidentes ucraniano, Volodimir Zelenski, e russo, Vladimir Putin, chegaram nesta segunda-feira (09/12) a um acordo para dar continuidade ao processo paz no conflito separatista no leste da Ucrânia. O avanço foi anunciado no fim da cúpula em Paris, que reuniu ainda os chefes de Estado e de governo de Alemanha e França.

Zelenski e Putin se encontraram pela primeira vez na cúpula que visava solucionar o conflito entre tropas ucranianas e separatistas que já dura mais de cinco anos. Desde 2014, essa guerra já matou cerca de 13 mil pessoas. Em 2015, um acordo de paz foi negociado entre Ucrânia e Rússia, mas poucos avanços foram feitos desde então.

“A Rússia fará de tudo o que depender dela para o fim deste conflito”, afirmou Putin, em entrevista coletiva, ao lado de Zelenski, da chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, e do presidente francês, Emmanuel Macron.

Na coletiva, Zelenski e Putin anunciaram que se comprometeram a trabalhar para o cessar-fogo no conflito e para a troca de todos os prisioneiros até o final deste ano. Esse processo será organizado pelo Grupo de Contato Trilateral, formado por representantes de Rússia e Ucrânia, e da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE). A única troca de prisioneiros ocorreu em setembro.

Os presidentes também se comprometeram a apoiar um acordo sobre o estabelecimento de pontos de travessia ao longo da linha de frente que se estende por mais de 500 quilômetros. Eles ainda expressaram a intenção de estabelecer condições de segurança e políticas para a realização de eleições locais em Donbass.

Zelenski disse estar convencido de que todas as partes desejam “bons resultados” e que “haverá um cessar-fogo efetivo” até o fim deste ano.

A cúpula em Paris buscava retomar a implementação do roteiro para a paz que foi estabelecido pelo Protocolo de Minsk, de 2015, embora ele ainda tenha que ser ratificado. Todos os lados – o Kremlin, os separatistas do leste ucraniano apoiados por Moscou, e o governo em Kiev – se acusam mutuamente pelo impasse.

Putin disse que a cúpula foi um “passo importante” para reaquecer as negociações. “O processo está se desenvolvendo na direção certa”, destacou. Além do encontro com Merkel e Macron, Zelenski e Putin tiveram uma reunião bilateral, descrita pelo presidente russo como “boa”.

Merkel afirmou também estar “muito satisfeita” com o resultado da cúpula. “Hoje superamos a paralisação”, disse, acrescentando que os líderes chegaram a acordos sobre “coisas realistas”. “Agora precisamos continuar trabalhando muito, muito mesmo, não há dúvida sobre isso”, destacou na coletiva.

Apesar de não terem alcançado um calendário para as eleições nas regiões de conflito, Macron disse que espera que nos próximos quatro meses essa questão seja solucionada. Kiev deseja retomar o controle na fronteira com a Rússia antes do pleito e não somente depois como previa o pacto assinado em Minsk. Moscou se recusa a mudar esse quesito. Putin defende que o governo ucraniano conceda autonomia às regiões controladas por rebeldes.

// DW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Encontrados metais em crateras da Lua que podem dar pistas sobre sua formação

A hipótese mais aceita sobre a formação da Lua diz que ela surgiu após a colisão entre a Terra e um planeta do tamanho de Marte, chamado Theia. O suposto evento é chamado de “hipótese …

Coronavírus empurra Cuba de volta à crise

Apesar de a covid-19 estar sob controle no país, os problemas econômicos têm se agravado, e a já difícil situação de abastecimento se torna mais crítica. Segundo semestre deve ser ainda pior na ilha caribenha. Cuba …

Boicote ao Facebook: como a debandada de grandes anunciantes pode afetar sobrevivência da rede social

Boicotes podem ser extremamente eficazes: é o que o Facebook está descobrindo. No final do século 18, o movimento abolicionista encorajou o povo britânico a ficar longe de bens produzidos pelos escravos. Funcionou. Cerca de 300 …

Cientista conta quais formas de vida os humanos podem encontrar em Marte

A humanidade tem cada vez mais chances de conhecer outras formas de vida, conforme desenvolve suas capacidades de exploração espacial. Em Marte, poderemos encontrar organismos introduzidos por veículos espaciais e modificados sob influência das condições no …

O coronavírus do ocidente é uma versão mais perigosa do que a original

Esforços são realizados para identificar se o vírus SARS-CoV-2, causador da Covid-19, passou por mutações em relação ao primeiro identificado em Wuhan, na China, em dezembro do ano passado. Em abril, um estudo não revisado pelos …

Missão indiana levará sonda para investigar efeitos do vento solar em Vênus

Em 2005, o Instituto Sueco de Física Espacial (IRF) enviou à órbita de Vênus a sonda ASPERA-4, através da missão Venus Express, da agência espacial europeia ESA. A sonda estudou o planeta até 2014, medindo …

O mistério das centenas de elefantes encontrados mortos em Botsuana

A morte “totalmente sem precedentes” de centenas de elefantes em Botsuana nos últimos meses está cercada de mistério. O biólogo e ativista Niall McCann afirmou que colegas no país do sul da África identificaram mais de …

Coronavírus na Coreia do Norte: Kim Jong-un declara 'sucesso brilhante' no combate à pandemia e zero casos

O líder norte-coreano Kim Jong-un elogiou o "sucesso brilhante" de seu país ao enfrentar a pandemia de covid-19, segundo a agência de notícias estatal KCNA. Falando em uma reunião do Politburo, Kim disse que o …

Bolsonaro veta uso obrigatório de máscaras em comércio, templos e repartições públicas

Presidente alegou que uso de máscaras em locais fechados pode ser classificado como "violação de domicílio" e vetou trecho que obrigava o poder público a fornecer máscaras para a população mais pobre. O presidente Jair Bolsonaro …

Novos hábitos devem fazer parte da vida das sociedades no pós-pandemia, dizem especialistas

Enquanto a vacina que poderá conter a disseminação do novo coronavírus não sai, o mundo seguirá lavando as mãos. exaustivamente, abusando do álcool gel (ou de desinfetantes poderosos), caprichando na limpeza de tudo o …