Satélites Starlink já estão atrapalhando observações astronômicas

Bret Hartman, TED / Flickr

Elon Musk, CEO da Tesla, SpaceX, Boring Company…

Em maio, Elon Musk garantiu que seus satélites Starlink não causariam impactos nas observações astronômicas — declaração dada pelo Twitter logo após o lançamento dos primeiros 60 satélites do projeto que visa pelo menos 12 mil unidades, podendo chegar a até 42 mil, para fornecer internet banda larga a todo o planeta.

Na semana passada, a SpaceX lançou o segundo lote de satélites Starlink, com mais 60 unidades orbitando o planeta, e a comunidade científica continuou expressando suas preocupações. Agora, o medo começa a se tornar realidade: astrônomos já estão tendo observações do céu noturno prejudicadas com a luz refletida pelos satélites em questão.

Pelo Twitter, a astrônoma Clarae Martínez-Vázquez, do Observatório Interamericano de Cerro Tololo (CTIO), publicou uma imagem registrada no dia 18 de novembro, mostrando satélites Starlink cruzando o céu acima do observatório.

Em outra imagem, podemos ver exatamente como a passagem dos satélites Starlink já atrapalha observações astronômicas.

Usando o telescópio Blanco 4m, que fica no CTIO, a equipe fez cerca de 40 exposições das Nuvens de Magalhães (galáxias-satélite da Via Láctea), e a fileira de satélites de Elon Musk entrou na visão da câmera cerca de 90 minutos antes do nascer do Sol, refletindo bastante luz e levando 5 minutos para sair da vista do telescópio.

Atualmente, temos cerca de 3 mil satélites ativos orbitando a Terra, e astrônomos já vêm expressando preocupações quanto ao gigantesco aumento na quantidade de objetos artificiais ao redor do planeta com a iniciativa Starlink, bem como com outras similares, como a OneWeb e um projeto da Amazon chamado Kuiper. Um aumento tão significativo de satélites refletindo luz solar no céu noturno significa interferências cada vez mais impactantes nas observações feitas por telescópios a partir da superfície do planeta.

Em períodos de maior escuridão noturna, os satélites Starlink acabam não sendo visíveis, pois ficam envoltos na sombra da Terra. Contudo, pouco antes do amanhecer (o que é um horário considerado nobre para a astronomia), os satélites começam a refletir a luz solar suficiente para se tornarem visíveis.

“Essas coisas são grandes o suficiente para que, quando iluminadas pelo Sol, sejam brilhantes o bastante para serem vistas por qualquer instrumento, de binóculos a [equipamentos] maiores”, disse Cees Bassa, do Instituto Holandês de Radioastronomia. Ainda, cálculos de Bassa estimam que até 140 satélites de constelações do tipo poderão ser visíveis a qualquer momento, se todas as unidades planejadas forem mesmo lançadas.

É verdade que existem técnicas para remover trilhas de satélites que eventualmente passem à frente de telescópios, como ferramentas de processamento de imagem, mas o grande número de novos satélites lançados de uma só vez dificulta essa tarefa.

Muitas das informações que os cientistas precisam usar ficam nas imagens não processadas e, além disso, remover uma única trilha de satélite é uma coisa relativamente simples, mas remover dezenas de trilhas é algo muito mais complicado — especialmente se essas trilhas cruzarem justamente os pixels que mostram uma estrela ou galáxia a ser estudada.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …