Shawkan foi preso por fazer o próprio trabalho; e corre o risco de ser executado

(dr) amnistia.pt

Mahmoud Abu Zeid ou Shawkan, o fotojornalista egípcio detido desde agosto de 2013

O fotojornalista egípcio foi distinguido, na quarta-feira (2), com o Prêmio Liberdade de Imprensa 2018 da UNESCO. Uma distinção que não poderá receber por estar preso em um país considerado “uma das maiores prisões do mundo para jornalistas”.

A história de Mahmoud Abu Zeid começa no dia 14 de agosto de 2013, quando as forças de segurança invadiram as praças al-Nahda e Rabaa al-Adawiya, no Cairo, ocupadas na maioria por apoiadores do presidente deposto, Mohamed Morsi, que tinha sido afastado pelo exército, escreve o Expresso.

Falamos do massacre de Rabaa, no qual pelo menos mil pessoas teriam morrido, na sequência da violenta invasão das autoridades egípcias, na época sob o comando do general Abdel Fattah el-Sisi, agora presidente do país.

O fotojornalista egípcio, também conhecido como Shawkan, foi preso durante as operações de dispersão na Praça Rabaa Al-Adawiya. Na época, ele trabalhava como freelancer, mas seu trabalho já tinha sido publicado em veículos como a revista Time, a BBC ou os jornais Bild, Die Zeit e The Sun.

Segundo o semanário, ele passou mais de dois anos na prisão, sem qualquer acusação, e foi sujeito a terríveis condições, tendo ficado desnutrido, anêmico, deprimido e onde ainda “ganhou” uma hepatite C.

Em 2015, em carta enviada à Deutsche Welle, Shawkan destacou o pesadelo que vive só porque fazia o próprio trabalho: “Estou vivendo em uma cela minúscula sob condições severas que um animal não suportaria, com falsas acusações sem base na verdade, e misturado com manifestantes presos”.

“Sou um jornalista, não um criminoso”, seria a frase que terminava a emotiva carta.

Na quarta-feira, o fotojornalista foi distinguido com o Prêmio Liberdade de Imprensa 2018 da UNESCO, que começou a ser atribuído em homenagem a Guillermo Cano Isaza, jornalista colombiano assassinado em 1986 em frente da redação onde trabalhava.

“A escolha de Mahmoud Abu Zeid presta tributo à sua coragem, resistência e compromisso com a liberdade de expressão”, disse Maria Ressa, presidente do júri que atribui o prêmio de 25 mil dólares, citada pelo Expresso.

No entanto, a distinção não passará disso mesmo. Shawkan continua preso e corre o risco de ser executado nos próximos tempos, em um país que atualmente ocupa a 161ª posição, de um total de 180 países, no índice de liberdade de imprensa elaborado pelos Repórteres Sem Fronteiras.

O país é considerado pela organização como “uma das maiores prisões do mundo para jornalistas”.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Astrônomos continuam encontrando inexplicáveis anéis circulares misteriosos no céu

Nos últimos anos, astrônomos avistaram vários objetos de rádio gigantescos e quase perfeitamente circulares no universo distante. Embora ninguém tenha uma explicação para essas entidades misteriosas ainda, uma equipe adicionou recentemente outra ao seu catálogo, …

Conflito tem seu dia mais sangrento em Gaza

Bombardeios israelenses deixam pelo menos 42 palestinos mortos e elevam total de vítimas a 188. Netanyahu diz que ataques continuarão. Sem um cessar-fogo à vista, o atual conflito entre Israel e Hamas teve neste domingo (16/05) …

Apple é acusada de enganar usuários através de aplicativos fraudulentos na App Store

A Apple segue batendo recordes financeiros. No entanto, escândalos um atrás do outro aumentam a preocupação em torno da App Store. Após chamar a atenção internacional com as recentes revelações sobre a existência de cassinos ocultos …

Chile escolhe representantes para elaborar nova Constituição

O domingo foi o último dia de votação no Chile para a escolha dos redatores da nova Constituição do país. Os 155 representantes eleitos terão a tarefa de mudar o texto herdado da ditadura. …

China consegue pousar veículo não tripulado em Marte

A China conseguiu neste sábado pousar um veículo autônomo não tripulado em Marte. A fase final da operação Tianwen-1 aconteceu sem falhas, informou a TV estatal chinesa, que transmitiu um programa especial chamado Alo …

Lewandowski permite que Pazuello fique em silêncio na CPI

Ex-ministro da Saúde será obrigado a comparecer ao depoimento, mas não precisará responder perguntas que possam incriminá-lo. No entanto, será obrigado a falar a verdade em fatos e questões relacionados a terceiros. O ministro do Supremo …

Como o coronavírus afeta o fígado

O SARS-CoV-2, vírus causador da covid-19, mudou completamente a cara do mundo que conhecíamos até então. Ele afetou praticamente todos os aspectos da vida cotidiana e causou mudanças substanciais nas ciências da saúde e, portanto, na …

'Síndrome de Havana': lesão cerebral atinge ao menos 130 diplomatas e oficiais americanos, dizem EUA

Diplomatas, agentes da CIA e oficiais de defesa dos EUA relataram sintomas graves da perturbação conhecida como "síndrome de Havana" nas últimas semanas. O elevado número de casos causa espanto. Nas últimas semanas, foram relatados mais …

RJ comunica 1º caso de raiva em cachorro em quase três décadas

Pela primeira vez desde 1995, o Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp) do Rio de Janeiro diagnosticou um caso de raiva animal. A descoberta parte do resultado de perícia no corpo de um cão morto …

O que dizem cientistas sobre isenção de máscaras para vacinados nos EUA

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (13/05) o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção na maioria das situações para pessoas que já foram completamente vacinadas contra a covid-19. Segundo a nova orientação do …