Sheroes Hangout: um café formado apenas por sobreviventes de ataques com ácido

Sheroes Hangout / Facebook

Sheroes Hangout, na Índia

Sheroes Hangout, na Índia

Na Índia, há um café que só contrata mulheres que sobreviveram a ataques com ácido. O espaço – que já existe há mais de dois anos – é pequeno, mas a diferença que faz na capacitação de vítimas de violência contra as mulheres é enorme.

Não são vítimas: são sobreviventes. Mais de 500 mulheres foram atacadas com ácido em 2015 na Índia. Este é um problema que a cada ano sofre um aumento – em 2014 foram 349 – e que é desvalorizado.

Para contrariar isso, nasceu o Sheroes Hangout (Ponto de Encontro de Heroínas, em tradução livre), um café nas cidades indianas de Agra – perto do icônico Taj Mahal –, Lucknow e Udaipur. Aqui, só trabalham mulheres que sofreram ataques com ácido.

A ideia é não escondê-las mais. Dar-lhes poder e usar sua força para inspirar outras mulheres – muitas delas nem chegam a denunciar os agressores à polícia –, e criar uma reação em cadeia.

Sheroes Hangout / Facebook

Laxmi Agarwal é uma das responsáveis pelo Sheroes Hangout

Laxmi Agarwal é uma das responsáveis pelo Sheroes Hangout

“Não podemos deixar nossos sonhos morrerem, nem nossa felicidade. Agora, mostramos a cara como as lutadoras que somos, não como vítimas“, explica Laxmi Agarwal, um dos principais rostos do estabelecimento.

Laxmi é uma das sobreviventes que agora, orgulhosamente, serve as mesas do café – que apresenta um menu sem preço: os clientes pagam o que acharem que devem.

Quando tinha 16 anos, Laxmi foi atacada com ácido por um homem que a perseguia constantemente, depois de se recusar a casar com ele. Hoje, além de se ocupar com o café, trabalha para a Stop Acid Attacks (Parem os ataques com ácido), uma organização sem fins lucrativos responsável pela abertura do café.

Tal como Laxmi, Ritu Sainu também foi atacada. Aos 20 anos, já passou por dez cirurgias reconstrutivas depois de rejeitar as investidas do primo, cujo ataque a levou a perder um dos olhos.

Sheroes Hangout / Facebook

Ritu Saini foi atacada com ácido por não querer casar com o primo e acabou perdendo um olho

Ritu Saini foi atacada com ácido por não querer casar com o primo e acabou perdendo um olho

A mais novas das empregadas tem 18 anos. Dolly Kumari Singh só foi capaz de voltar à escola graças ao Sheroes. Como muitas outras mulheres que sofreram este ataque, a jovem não tinha coragem de mostrar o rosto deformado fora de casa, depois de um homem tê-la queimado com ácidos corrosivos há três anos.

Foi o tempo que passou a trabalhar no café que lhe deu as ferramentas e coragem para enfrentar uma sala de aula: “Quando voltei à escola, tive medo que meus amigos não falassem comigo. Mas todo mundo falou comigo. Me senti tão bem”, conta.

Muitas destas mulheres foram inspiradas pela história de Laxmi. Quatro anos depois de ser atacada, em 2005, decidiu que não ia mais esconder o rosto. Os olhares não eram fáceis, mas a vida deixou de ser madrasta para ela.

Foi o rosto de uma campanha, desfilou em Londres para sensibilizar sobre a violência de gênero e encontrou o amor ao lado de Alok Dixit, fundador da organização Stop Acid Attacks.

São estas e, infelizmente, muitas outras, as histórias que vivem e convivem às mesas do café. O espaço quer conscientizar e alertar sobre a situação de jovens e mulheres que “desaparecem” do olhar público, em um país que vê o número de ataques com ácido crescer a cada ano que passa.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Bill Gates vai financiar sete pesquisas de vacina contra COVID-19

Bill Gates, o fundador, ex-CEO e atual filantropo, anunciou durante entrevista no talk show norte-americano Daily Show With Trevor Noah que, por meio de sua própria fundação, estará financiando sete pesquisas clínicas que buscam descobrir …

Bolsonaro é denunciado no TPI por “crime contra a humanidade”

A Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) denunciou o presidente Jair Bolsonaro por crime contra a humanidade no Tribunal Penal Internacional.  A denúncia foi protocolada nesta quinta-feira (2) na corte de Haia. Segundo …

O primeiro ‘autor’ do mundo era uma mulher

Enheduanna viveu no século 23 antes da nossa era na Mesopotâmia. Princesa, sacerdotisa e poeta, ela pode se orgulhar de ter sido a primeira autora do mundo a ter seu nome conhecido em uma época …

Maduro envia carta ao povo dos EUA pedindo "cessação das sanções"

Nicolás Maduro enviou uma carta ao povo dos Estados Unidos expressando uma mensagem de solidariedade e paz, e pedindo fim das ameaças militares e das sanções contra Venezuela. No documento, o chefe de Estado venezuelano exprime …

Governo dos EUA alerta população para novo "11 de Setembro" devido à covid-19

Chefe da Saúde Pública do país prevê que próxima semana será "a mais difícil e mais triste da vida da maioria dos americanos". Ele compara repercussão a dois dos maiores traumas da história dos Estados …

Quarentena em todo o mundo deixou a crosta terrestre mais "silenciosa"

As medidas de isolamento social adotadas para conter o novo coronavírus (SARS-CoV-2) estão deixando a Terra mais silenciosa - ao menos para os “ouvidos” sensíveis dos sismógrafos. É que as atividades humanas, tais como a circulação …

IA sincronizada com música cria rostos falsos, o resultado pode se aterrorizante

As pessoas ainda aprendem a melhor forma de empregar as redes neurais artificiais, aprendizado de máquina e avanços em inteligência artificial. Entre as pesquisas práticas há a busca por empregar essas técnicas de forma a …

Coronavírus: 92% das mães nas favelas dizem que faltará comida após um mês de isolamento

"Muitas pessoas entraram na linha de pobreza da noite para o dia. O casal que trabalhava no shopping na semana retrasada, que recebia por semana, fez a compra da semana passada e nesta semana já …

Dois anos após mortes de Marielle e Anderson, Anistia Internacional cobra identificação de mandantes

Dois anos após os assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes, em 14 de março de 2018, o crime permanece sem solução e ilustra a impunidade no combate à violência …

Coronavírus poderia ser a 1ª de muitas outras pandemias futuras, adverte cientista

Apesar do registro de mais de um milhão de infectados à escala mundial, a doença poderia ser suplantada por patologias bem mais perigosas. Comparando com as doenças que poderiam reaparecer como resultado do aquecimento global, o …