Rússia avisa que vai abater mísseis dos EUA na Síria

Dmitry Ryazanov / Wikimedia

Caça bombardeiro Sukhoi Su-27 da Força Aérea da Rússia lança foguetes de contramedida

O embaixador da Rússia no Líbano, Alexander Zasipkin, disse que qualquer míssel lançado pelos Estados Unidos contra a Síria serão abatidos pelas forças russas.

As declarações foram feitas na tarde desta terça-feira (10) e se referem à intenção de Moscou de responder a qualquer ofensiva norte-americana na Síria, de acordo com o Público.

O regime de Bashar Al-Assad, aliado da Rússia, tem sido acusado de ser o responsável pelo ataque químico em Douma, nos arredores de Damasco.

Com o ataque de sábado, o líder sírio conseguiu a rendição dos combatentes da oposição naquela região. Segundo as organizações médicas no terreno, morreram dezenas de pessoas e outras centenas foram afetadas pelo gás de cloro e por outro gás não identificado.

O líder norte-americano Donald Trump disse que vai responder ao ataque “atroz, bárbaro e inadmissível” e acusou a Rússia de ser uma das responsáveis por dar apoio ao regime sírio governado pelo “animal” Assad.

“Se houver um ataque por parte dos americanos, os mísseis serão abatidos, assim como as bases de onde os mísseis forem lançados”, disse Zasipkin ao canal al-Manar, a televisão do Hezbollah. O embaixador disse ainda que “estão prontos para negociações”.

Donald Trump respondeu nesta quarta-feira (11) com o aviso de que os mísseis “estão chegando” à Síria, na sequência do suposto ataque químico que aconteceu na cidade de Douma.

“A Rússia prometeu destruir todo e qualquer míssil disparado para a Síria. Preparem-se, porque os mísseis estão chegando. Bons, novos e inteligentes. Não deviam ser parceiros com um animal que mata o próprio povo e gosta disso”, escreveu Trump no Twitter.

Síria debaixo de possíveis ataques aéreos nas próximas 72 horas. Aviação civil alertada

A Eurocontrol, organização europeia de segurança na navegação aérea, divulgou nesta terça uma “advertência rápida” às companhias aéreas do leste do Mediterrâneo contra possíveis ataques aéreos contra a Síria com mísseis nas próximas 72 horas.

“Devido ao possível lançamento de ataques aéreos na Síria com mísseis ar-terra e/ou de cruzeiro, nas próximas 72 horas, e a possibilidade de interrupção intermitente de equipamentos de radionavegação, o aviso deve ser levado em conta ao planejar operações de voo na área do Mediterrâneo Oriental-Nicósia”, divulgou a organização europeia, em seu seu site.

Na segunda-feira (9), o presidente dos Estados Unidos prometeu “responder abruptamente” ao suposto ataque químico na cidade síria de Douma, perto de Damasco, que causou dezenas de mortes e centenas de feridos, de acordo com várias organizações não-governamentais no terreno.

Mais de 40 pessoas morreram no sábado em um ataque contra a cidade rebelde de Douma, que segundo organizações não-governamentais no terreno foi realizado com armas químicas.

A oposição síria e vários países acusaram o regime de Bashar al-Assad da autoria do ataque, mas Damasco negou e seu principal aliado, a Rússia, afirmou que peritos russos que foram ao local não encontraram “nenhum vestígio” de substâncias químicas.

Na noite desta terça, o Conselho de Segurança da ONU rejeitou um projeto de resolução da Rússia para criar um novo mecanismo de investigação sobre o uso de armas químicas na Síria.

Guerra

 

A Síria, que entrou no oitavo ano de guerra, vive um drama humanitário perante um conflito que já fez pelo menos 511 mil mortos, incluindo 350 mil civis, e milhões de deslocados e refugiados.

De acordo com o Diário de Notícias, que cita fontes oficiais de Washington, diferentes opções militares estão em discussão, com os EUA a procurarem uma articulação com os aliados internacionais.

Não foram dados quaisquer detalhes, mas era sugerido que a finalidade da retaliação seria desencorajar, de uma vez por todas, o regime sírio de usar armas químicas.

Os alvos mais prováveis seriam os centros de comando e controle que teriam dirigido os ataques e unidades de apoio, considerava um especialista em segurança internacional, Benjamin Haddad, do Hudson Institute.

Outro alvo poderia ser a base de Dumayr, de onde teriam partido os helicópteros envolvidos no ataque. No dia 6 de abril de 2017, em resposta a ataque semelhante, em Khan Shaykhum, os EUA dispararam 59 mísseis sobre a base de Shayrat, na província de Homs.

Aquelas hipóteses foram, de algum modo, confirmadas no fim do dia por Emmanuel Macron que disse: se haver ataques, eles teriam como alvo instalações de armas químicas.

Outro sinal da iminência de uma possível punição militar do regime de Assad foi dada pela notícia do cancelamento da viagem de Trump ao Peru, onde deveria participar sexta-feira (13) do Encontro das Américas, partindo em seguida para a Colômbia. Trump será substituído pelo vice-presidente Mike Pence.

Um terceiro sinal veio do ministro das Relações Exteriores saudita, Adel al-Jubeir, que falava em Paris no quadro da visitas que o príncipe herdeiro Mohammad bin Salman concluiu na França, antes de Macron proferir a declaração acima citada. “Não vou especular sobre o que pode ou não pode acontecer. O que posso dizer é que estão sendo avaliadas as opções disponíveis nesta questão“, disse o ministro saudita.

Ciberia, Lusa // ZAP

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. vocês podem usar foguetes que espalhem pó de ferrite na atmosfera para atrapalhar os sistemas de navegação por GPS dos misseis. Vai formar um pó que tornará impossível as comunicações e vai dar erros no GPS

    Fora com os comunistas dos EUA

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …