Trump destrói base Síria para vingar ataque químico; Putin fala em agressão

Os EUA lançaram dezenas de mísseis de cruzeiro contra uma base aérea na Síria, no primeiro ataque direto contra o regime de Bashar al-Assad desde que começou a guerra civil. A Rússia, aliada de Assad, fala em uma “agressão”.

O ataque dos EUA à Síria logo após o bombardeio com armas químicas contra uma localidade no norte da Síria, que matou mais de 80 civis na terça-feira.

O exército norte-americano disparou 59 mísseis “Tomahawk” contra a base aérea de Shayrat, em Homs, de onde o Governo norte-americano acredita que partiram os caças que executaram os ataques aéreos contra civis, de acordo com fontes militares.

“Todos os aviões militares estacionados em Shayrat estão inoperacionais. Podemos dizer que a base foi completamente destruída”, disse um funcionário da base militar Síria citado pela Sputnik News.

Os números da agência oficial síria Sana apontam para nove civis mortos, entre os quais quatro crianças. O governador da província de Homs disse que o ataque matou três soldados e dois civis.

Já o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH, oposição), com sede em Londres, afirmou que o ataque matou quatro soldados, incluindo um general.

A decisão de Donald Trump de tomar medidas de forma unilateral contra o Governo sírio está provocando incômodo na Rússia, num momento em que decorrem conversas no Conselho de Segurança da ONU. Mas até agora, o grupo continua muito dividido e ainda não tomou uma resolução sobre a situação.

Putin classifica ataque dos EUA como “agressão”

O presidente russo classificou o ataque como “uma agressão” com um “pretexto inventado” e disse que a ação de Washington prejudica as relações entre os dois países.

Vladimir Putin “considera que os ataques norte-americanos na Síria são uma agressão contra um Estado soberano e uma violação do direito internacional, já que aconteceram sob um pretexto inventado”, disse à imprensa o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

O presidente russo “vê nos ataques uma intenção por parte dos Estados Unidos de desviar a atenção da comunidade internacional das múltiplas vítimas entre a população civil no Iraque”, onde as tropas norte-americanas lideram uma operação militar contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI), acrescentou o porta-voz.

A Rússia já pediu uma reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas “para discutir a situação”, conforme disse o ministro dos Negócios Estrangeiros russo através de comunicado.

O chefe da diplomacia russa acrescenta que os ataques dos Estados Unidos constituem “uma ameaça à segurança internacional”.

A Rússia também anunciou que vai suspender o acordo com os EUA para prevenir incidentes aéreos sobre a Síria. Os russos têm dezenas de aviões de guerra e baterias antiaéreas na sua base no país.

As Forças Armadas russas também indicaram que o ataque dos EUA sobre Shayrat destruiu seis caças sírios estacionados nas instalações e que apenas 23 dos 59 mísseis lançados atingiram o espaço militar.

Alemanha, França e Reino Unido ao lado de Trump

Entretanto, a comunidade internacional reagiu ao ataque. Portugal anunciou que “compreende” os aliados que atuam em retaliação a “crimes de guerra”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Também na França e na Alemanha, François Hollande e Angela Merkel se manifestam ao lado dos EUA, considerando que o presidente sírio, Bachar al-Assad, tem a “inteira responsabilidade” pelos ataques norte-americanos.

Em uma declaração conjunta, Hollande e Merkel consideram que o presidente Assad “tem responsabilidades devido ao uso repetido de armas químicas e pelos crimes contra o seu povo”. Os dois líderes apelaram ainda à comunidade internacional para “uma união de forças para uma transição política na Síria, de acordo com a resolução da ONU”.

Também o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, acusa o regime sírio de ter “a responsabilidade total“ pelo ataque químico de terça-feira, considerando que “qualquer uso de armas químicas é inaceitável e não pode ser ignorado”.

O Governo britânico anunciou igualmente, que “apoia plenamente a ação dos Estados Unidos”, com um porta-voz de Theresa May a realçar que é “uma resposta apropriada ao ataque bárbaro com armas químicas realizado pelo regime sírio”.

Por outro lado, o Irã condenou “vigorosamente” os bombardeamentos norte-americanos e a China pede para que seja evitada uma “nova deterioração da situação” na Síria.

Mas um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês destacou que o país se opõe “ao uso de armas químicas, por qualquer país, organização, ou indivíduo, sejam qual forem as circunstâncias e objetivos”.

O comando do exército da Síria acusou os Estados Unidos de se tornarem “um aliado de terroristas”, nomeadamente do grupo extremista Estado Islâmico (EI) e da Frente Al-Nosra, nome que usava a atual Frente de Conquista do Levante até que se desligou da rede terrorista Al-Qaida, em julho passado.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Parlamento da China aprova lei que pode significar fim da autonomia de Hong Kong

O Parlamento chinês adotou nesta quinta-feira, praticamente por unanimidade, a polêmica lei sobre segurança nacional em Hong Kong. Segundo críticos, a medida acabará com a autonomia da ex-colônia britânica, cenário de grandes manifestações pró-democracia …

França proíbe uso de hidroxicloroquina para tratar covid-19

Decisão foi tomada após parecer desfavorável do Conselho Superior de Saúde Pública. País é o primeiro a adotar proibição desde que OMS suspendeu testes com o medicamento no tratamento de pacientes com o novo coronavírus. A …

Netflix vai permitir reprodução de filmes e séries parcialmente baixados

Já faz um bom tempo que a Netflix liberou a função de baixar filmes e séries para ver offline e, agora, parece que a empresa trabalha em uma maneira de liberar a reprodução antes mesmo …

China revela 1ª apresentadora virtual desenvolvida por inteligência artificial e tecnologia 3D

Apresentada recentemente pela agência estatal chinesa Xinhua, a primeira apresentadora digital, feita com tecnologia 3D e inteligência artificial do mundo já está trabalhando. Batizada de Xin Xiaowei, a âncora humanoide replica à perfeição a aparência, feições, …

Esta massiva galáxia antiga não deveria existir, de acordo com astrônomos

Uma galáxia massiva similar à Via Láctea desafia a compreensão da formação de galáxias por astrofísicos. Estudo publicado na Nature revela que o sistema surgiu 1,5 bilhões de anos após o Big Bang, sendo o …

Pela 1ª vez, Twitter alerta para fake news em posts de Trump

Rede social marcou dois tuítes do presidente americano com sugestão para que usuários chequem os fatos, apontando que alegações "não têm fundamento". Em reação, Trump acusou plataforma de interferir em eleições. A rede social Twitter colocou, …

Arqueólogos creem ter solucionado mistério de pinturas rupestres aborígenes

Equipe de arqueólogos australianos descobriu raros exemplares de arte rupestre detalhada e em pequena escala com recurso a estênceis, em um abrigo rochoso do povo aborígene Marra. O achado teve lugar em uma caverna que servia …

Costa Rica realiza primeiro casamento homoafetivo da América Central e celebra avanço social

Duas mulheres se casaram na manhã desta terça-feira na Costa Rica, que se tornou o primeiro país da América Central a legalizar o casamento entre pessoas homoafetivas. A pandemia de coronavírus restringiu as comemorações. …

Novo coronavírus não se propaga facilmente pelo contato com superfícies e objetos

Nós sabíamos que o novo coronavírus poderia sobreviver em superfícies por determinados períodos de tempo, e que há detergentes especiais para o manterem longe, mas essa não era a principal forma de transmissão. Agora o Centro …

Sistema do Twitter falha em rotular mensagens falsas

Com o propósito de ajudar seus usuários a não serem vítimas da desinformação sobre a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), o Twitter investiu em mecanismos com base na inteligência artificial para rotular postagens falsas e …