A Via Láctea já morreu uma vez (e agora vivemos na sua segunda versão)

A Via Láctea morreu uma vez, antes de voltar à vida. É esta a conclusão de um cientista japonês depois de observar as composições químicas das estrelas da nossa galáxia.

Em uma grande parte da Via Láctea, as estrelas podem ser divididas em duas populações distintas com base nas suas composições químicas.

O primeiro grupo é mais abundante naquilo que é conhecido como elementos α – oxigênio, magnésio, silício, enxofre, cálcio e titânio. O segundo é menos abundante neste tipo de elementos e marcadamente mais abundante em ferro.

A existência destas duas populações diferentes implica que algo diferente aconteceu ou está acontecendo durante os estágios de formação da galáxia. Mas o mecanismo preciso por trás desse fenômeno nunca foi claro.

Agora, segundo o Science Alert, o astrônomo Masafumi Noguchi, da Universidade de Tohoku, no Japão, acredita que seu modelo pode nos dar a resposta. As duas populações representam dois períodos diferentes de formação estelar, com um período inativo, ou seja, sem formação estelar.

Com base na teoria do acréscimo galático de fluxo frio proposto em 2006, Noguchi modelou a evolução da Via Láctea durante um período de 10 bilhões de anos.

Originalmente, a teoria foi sugerida para galáxias muito maiores, propondo que galáxias massivas formam estrelas em dois estágios. Mas, por causa da dicotomia da composição química das estrelas, o cientista acredita que isso também se aplica à Via Láctea.

Isto porque a composição química das estrelas depende dos gases a partir dos quais são formadas. E, no início do Universo, certos elementos – como os metais mais pesados – ainda não tinham chegado ao local, uma vez que foram criados em estrelas e só se propagaram quando essas mesmas estrelas se tornaram supernovas.

No primeiro estágio, de acordo com a pesquisa de Noguchi, publicada no final de julho na revista Nature, a galáxia acumula gás frio do exterior. Este gás se une para formar a primeira geração de estrelas.

Após cerca de dez milhões de anos, que é uma escala de tempo relativamente curta em termos cósmicos, algumas dessas estrelas morreram em supernovas tipo II, o que fez propagar os elementos α por toda a galáxia, que foram incorporados em novas estrelas.

No entanto, de acordo com o modelo do cientista, tudo acabou um pouco depois dos 3 bilhões de anos. “Quando as ondas de choque apareceram e aqueceram o gás a altas temperaturas há 7 bilhões de anos, o gás parou de fluir para dentro da galáxia e as estrelas pararam de se formar“, pode-se ler em comunicado da universidade japonesa.

Durante um hiato de cerca de 2 bilhões de anos, ocorreu uma segunda fase de supernovas – a supernova do tipo Ia – que normalmente ocorre após uma vida estelar de cerca de 1 bilhão de anos.

É nessas supernovas que o ferro é forjado e expelido para o meio interestelar.

Quando o gás esfriou o suficiente para começar a formar estrelas outra vez – há cerca de 5 bilhões de anos – essas estrelas tinham uma porcentagem muito maior de ferro do que a geração anterior. Essa segunda geração inclui o nosso Sol, que tem cerca de 4,6 bilhões de anos.

O modelo de Noguchi é consistente com a pesquisa recente feita sobre Andrômeda, a nossa “vizinha” galática, que se pensa pertencer à mesma classe de tamanho que a Via Láctea.

Em 2017, uma equipe de astrônomos publicou um estudo no qual descobriu que a formação de estrelas também ocorreu em dois momentos diferentes, com um certo período de inatividade pelo meio.

Se o modelo se mantiver, escreve o Science Alert, isso pode significar que os modelos de evolução das galáxias precisam ser revistos – isto é, enquanto as galáxias anãs menores experimentam uma formação estelar contínua, talvez um período “morto” seja a norma para as galáxias maiores.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Queiroga testa positivo para covid-19 e fica em Nova York

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testou positivo para covid-19 durante a viagem a Nova York, na comitiva do presidente Jair Bolsonaro, e ficará em isolamento na cidade, comunicou nesta quarta-feira (21/09) a Presidência da …

Vulcão em erupção nas Canárias: o cenário 'desolador' enfrentado por moradores afetados pelo Cumbre Vieja

Juan Vicente Rodríguez ainda não chegou às lágrimas, mas ele garante que no final "todos vão acabar chorando". Morador da ilha canária La Palma, Rodríguez observa nas redondezas os rios de lava do vulcão Cumbre Vieja …

Anistia Internacional acusa empresas farmacêuticas de deixar países pobres sem vacinas anticovid

A ONG Anistia Internacional divulgou um relatório nesta quarta-feira acusando os grandes grupos farmacêuticos que produzem vacinas contra a Covid-19 de alimentar uma crise de direitos humanos sem precedentes. Por essa razão, a entidade …

Descobrem na Espanha dezenas de pegadas de espécie extinta de elefantes

Paleontólogos descobriram em Huevla, na Espanha, em um sítio da época do Pleistoceno Superior, trilhas e rastros de elefantes recém-nascidos e juvenis atribuídos a elefantes de presas retas (Palaeoloxodon antiquus). Os elefantes de presas retas são …

Na ONU, Bolsonaro defende ineficaz "tratamento precoce"

O presidente Jair Bolsonaro usou nesta terça-feira (21/09) seu discurso de abertura da 76ª Assembleia-Geral das Nações Unidas para defender o desacreditado "tratamento precoce" promovido pelo seu governo, que consiste num coquetel de drogas ineficazes …

Turismo em reservas naturais federais no Brasil triplica em 13 anos

Cerca de 15 milhões de turistas visitaram reservas ambientais federais no Brasil em 2019, uma alta de 300% nos últimos 13 anos. Se por um lado esse aumento reflete um maior interesse dos brasileiros em …

Presidente do Conselho da UE acusa EUA de "falta de lealdade" após ruptura de contrato com a França

O presidente do Conselho da União Europeia, Charles Michel, acusou nesta segunda-feira (20) os Estados Unidos de falta de lealdade depois que a Austrália cancelou um amplo contrato com a França para comprar submarinos …

Morcegos das cavernas de Laos podem revelar origem da COVID-19

Descobriu-se que os morcegos que habitam as cavernas do norte de Laos transportam um coronavírus que compartilha uma característica importante com o SARS-CoV-2, dando pistas aos cientistas para desvendar a causa da COVID-19. Uma equipe de …

Em Nova York, Bolsonaro vai se reunir com Boris Johnson

O presidente Jair Bolsonaro viajou neste domingo (19/09) para Nova York, nos Estados Unidos, onde participará nesta semana da Assembleia Geral das Nações Unidas e terá seu primeiro encontro bilateral com o primeiro-ministro do Reino …

Os softwares de home office mais importantes

A pandemia de COVID-19 obrigou muita gente a trabalhar a partir de casa. Nesse momento, se uma pessoa pode fazer seu trabalho em home office, ela deve seguir este caminho. Toda essa situação ajudou as empresas …