Vírus gigante de 30.000 anos vai ser revivido por cientistas franceses

PNAS, doi: 10.1073/pnas.1510795112

Imagens de microscopia eletrônica do Mollivirus sibericum

Imagens de microscopia eletrônica do Mollivirus sibericum

Cientistas franceses pretendem reanimar um vírus gigante de 30.000 anos, desenterrado do solo gelado da Sibéria. Isso pode soar um tanto apolítico, mas não se preocupe: a humanidade está a salvo, pelo menos por enquanto.

Jean-Michel Claverie e seus colegas anunciaram a descoberta do Mollivirus sibericum num estudo publicado recentemente na PNAS, a revista da Academia Nacional de Ciências dos EUA.

Este é o quarto tipo de vírus pré-histórico descoberto desde 2003, e o segundo encontrado por esta equipe.

Antes de acordá-lo, os pesquisadores terão que verificar se ele não pode causar doenças a animais ou humanos.

Mudança climática e seus perigos

A mudança climática está aquecendo as regiões árticas e subárticas mais que o dobro da média global, o que significa que o permafrost (a camada de gelo permanente dessas aéreas) não é mais tão permanente assim.

Foi no permafrost do nordeste da Rússia que os cientistas se depararam com o vírus. Eles advertem que o gelo pode esconder outros segredos que não serão tão inofensivos assim para nós.

“Algumas partículas virais que ainda estão infecciosas podem ser suficientes, na presença de um hospedeiro vulnerável, para reviver vírus potencialmente patogênicos”, explicou Jean-Michel Claverie em entrevista à AFP.

As regiões nas quais o micróbio foi visto são cobiçadas pelos seus recursos minerais, especialmente o petróleo, e estarão cada vez mais acessíveis para exploração industrial conforme derretem.

“Se não tivermos cuidado, e industrializamos estas áreas sem colocar salvaguardas, corremos o risco de um dia acordar vírus tais como varíola que pensávamos estar erradicados”, acrescentou Claverie.

Segurança

Em condições de laboratório seguras, Claverie tentará reviver o vírus gigante recém-descoberto, colocando-o em uma ameba unicelular, que servirá como hospedeira.

Em 2013, a equipe francesa descobriu outro vírus grande no mesmo local, que eles chamaram de Pithovirus sibericum. Os cientistas conseguiram reanimá-lo com sucesso em uma placa de Petri.

Em 2004, cientistas americanos ressuscitaram o notório vírus da “gripe espanhola”, que matou dezenas de milhões de pessoas, a fim de entender como o patógeno foi tão extraordinariamente virulento, reconstruindo os códigos de seus oito genes.

O trabalho foi feito em um laboratório de segurança máxima nos Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA.

Vírus gigantes e complexos

Para se qualificar como “gigante”, um vírus tem de ser maior do que a metade de um mícron, que é um milésimo de milímetro. O Mollivirus sibericum tem 0.6 mícron.

Diferentemente da maioria dos vírus que circulam hoje, e para espanto geral dos cientistas, estes espécimes antigos que datam da última Idade do Gelo não são apenas maiores, mas também muito mais complexos geneticamente.

O M. sibericum tem mais do que 500 genes, enquanto uma outra família de vírus gigante descoberta em 2003, os pandoravírus, tem 2.500. O vírus da gripe Influenza A, por outro lado, tem apenas oito.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Suécia vai abrir “CPI da Covid-19” para saber se governo fez bem ao não isolar a população

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, a Suécia tem ido na contramão de seus vizinhos. O país escandinavo preferiu manter um ritmo quase normal em suas atividades e não impôs o confinamento …

Uber testa modalidade que permite ao usuário reservar carro por hora

Na tentativa de achar novas fontes de receita para seu negócio de corridas compartilhadas, seriamente afetado pela COVID-19, a Uber está testando uma nova modalidade, focada nos passageiros que precisam fazer viagens mais longas e …

Revelada razão de comportamento instável de estrelas perto dos centros galácticos

Estrelas de ramo horizontal extremo são mais brilhantes e têm um ciclo de vida inferior ao das estrelas comuns, de acordo com um novo estudo. Os astrônomos estudaram o comportamento de um tipo especial de estrelas, …

Trump ameaça acionar Forças Armadas para conter protestos

No 7.º dia de manifestações antirracismo, Presidente dos EUA critica inação de governadores e promete enviar milhares de soldados para pôr fim a distúrbios. Visita de Trump a igreja é criticada como tentativa de autopromoção. O …

Não é apenas o coronavírus: surto de ebola retorna ao Congo

Foi confirmada, pelo ministro da Saúde do Congo, a descoberta de novos casos de Ebola na província de Équateur. O último surto do vírus altamente mortal ocorreu em 2018 e matou 33 pessoas no país. O …

Coronavírus: São Paulo se prepara para reabertura com 70% de leitos ocupados

O governo estadual de São Paulo ordenou a reabertura gradual dos estabelecimentos comerciais a partir dessa terça-feira (2). A gestão diz se basear no índice de infecções do novo coronavírus por cidade. Mesmo com 70% …

Júpiter é tão grande que quase virou um sol

Júpiter é o maior planeta do sistema solar. Assim, bem maior mesmo. Do tipo se você pegar todos os outros planetas e juntar suas massas, não chega nem aos pés dele. Nem mesmo metadinha. Esse gigante …

União Europeia pede que EUA reconsiderem sua decisão de cortar relações com a OMS

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e o chefe de relações internacionais da União Europeia, Josep Borrell, pediram neste sábado (30) que os Estados Unidos “reconsiderem a decisão anunciada” de romper …

Astronautas da NASA chegam à ISS em nave da SpaceX e entram para a história

Depois de viajarem pelo espaço por 19 horas, os astronautas Bob Behnken e Doug Hurley chegaram à Estação Espacial Internacional (ISS) a bordo da nave Crew Dragon alguns minutos antes do previsto. O lançamento histórico aconteceu …

Nova Zelândia se encontra em cima de enorme bolha de lava, segundo pesquisa

Durante os anos 70, pesquisadores propuseram a teoria de que o interior do planeta se agita lentamente como uma bolha de lava. Estas bolhas flutuantes surgem como plumas do manto derretido do centro da Terra, onde …