Aos 96 anos, secretária de campo nazista tenta fugir antes de julgamento de crimes do Holocausto

Era para ter começado nesta quinta-feira (30) um dos últimos julgamentos na Alemanha por cumplicidade em crimes nazistas, no entanto o processo teve que ser adiado porque a acusada, de 96 anos, tentou fugir do lar de idosos em que mora. Irmgard Furchner trabalhou como secretária no campo de concentração Stutthof e é acusada de ser cúmplice de 10 mil mortes entre os anos de 1943 e 1945.

Na manhã desta quinta, quando deveria se apresentar ao tribunal, Irmgard Furchner pegou um táxi na casa de repouso em que vive e foi deixada em uma estação de metrô nos arredores de Hamburgo, afirmou Frederike Milhoffer, porta-voz do tribunal alemão de Itzehoe.

A fuga, segundo a revista alemã Der Spiegel, havia sido anunciada em uma carta escrita pela acusada ao presidente do tribunal, Dominik Gross, mas não teria sido levada a sério pela Justiça alemã.

A antiga secretária de 96 anos, que usa uma muleta ou andador para se locomover, foi encontrada horas mais tarde, quando um mandado de prisão já havia sido emitido em seu nome.

“Um médico definirá sua capacidade de ser presa e o tribunal determinará se o mandado de prisão pode ser executado ou se ela será poupada”, disse o porta-voz em uma coletiva de imprensa.

Luta contra o tempo para punir crimes nazistas

A tentativa de escapar do julgamento causou surpresa e consternação de quem aguardava por um dos últimos julgamentos por cumplicidade em crimes do Holocausto.

Desde 2011, quando a decisão contra o ex-guarda John Demjanjuk determinou um precedente legal inédito para punir quem trabalhou no mecanismo nazista, a Alemanha tem corrido contra o tempo para julgar colaboradores do regime de Hitler.

No entanto, o julgamento de réus cada vez mais velhos tem provocado polêmica. Nos últimos dez anos, a Alemanha condenou quatro antigos funcionários de campos nazistas por cumplicidade em crimes do Holocausto. Em 2020, o condenado foi um ex-guarda de 93 anos, incriminado por participar na morte de mais de 5 mil prisioneiros.

Efraim Zuroff, diretor do Centro Simon-Wiesenthal, uma das organizações que procura nazistas vivos, publicou em suas redes sociais, “saudável para fugir, saudável para ir para a prisão”.

Cúmplice em 10 mil mortes

Irmgard Furchner, que tinha 18 a 19 anos na época do crime e mora em um lar de idosos perto de Hamburgo, será julgada por um tribunal especial por “cumplicidade no assassinato em mais de 10.000 casos”, de acordo com a acusação.

Única mulher envolvida no nazismo a ser julgada no país nas últimas décadas, ela é acusada de participar do assassinato de prisioneiros no campo de concentração de Stutthof, na Polônia atual, onde trabalhou como datilógrafa e secretária do comandante do campo, Paul Werner Hoppe, entre junho de 1943 e abril de 1945.

Neste campo de concentração, cerca de 65.000 pessoas foram assassinadas, entre elas, “prisioneiros judeus, partidários poloneses e prisioneiros de guerra soviéticos“, afirma a acusação.

O advogado Christoph Rückel, que há anos representa os sobreviventes do Holocausto, disse na estação pública de televisão regional NDR que ela havia “digitado as ordens de execução e deportação e as rubricado”.

Após o atraso, ainda não há data para a abertura do processo. As audiências, programadas para durar até junho de 2022, devem ser limitadas a algumas horas por dia.

O julgamento deve ser seguido pelo de um ex-guarda de 100 anos no campo nazista de Sachsenhausen, perto de Berlim.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

UE exportou mais de um bilhão de doses contra Covid-19, diz Comissão Europeia

A União Europeia exportou mais de um bilhão de doses de vacinas contra a Covid-19 para mais de 150 países. Essa quantidade representa a metade das doses produzidas na Europa, de acordo com dados …

Colin Powell, ex-secretário de Estado dos EUA, morre aos 84 anos

Primeiro negro a ocupar topo da diplomacia e da máquina militar americana, ex-general teve papel de destaque na Guerra do Golfo e arranhou sua credibilidade ao apoiar a invasão do Iraque uma década depois. Colin Powell, …

Criminosos usam escaneamento por código do próprio usuário para 'sequestrar' contas do WhatsApp

Em 2019, um relatório divulgado pelo laboratório de pesquisa da empresa de segurança virtual Eset alertou que uma das formas crescentes de sequestro de contas do WhatsApp era feita por meio de um ataque conhecido …

EUA: Manobras de Trump bloqueiam investigação sobre invasão do Capitólio

Vários parceiros e associados do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusaram a comparecer à comissão da Câmara que investiga a invasão de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, sede do …

Dor nos olhos após COVID-19: cientistas explicam causa de complicação inesperada do vírus

Uma pesquisa de cientistas alemães mostrou que o coronavírus pode penetrar nos olhos e infectar os fotorreceptores e células ganglionares na retina. Isso pode ser uma causa de problemas com os olhos após a COVID-19. Os …

Estudo mostra como mudanças climáticas afetarão a energia hidrelétrica no Brasil

Um novo relatório publicado pela Global Environmental Change revela que, nas próximas décadas, as reduções de precipitação e vazão dos rios na região amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo e uma forte candidata …

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …