Astrônomos levantam teoria sobre luas ‘solteiras’ na galáxia

O espaço interstelar pode conter uma infinidade de luas, que foram jogadas pelos seus planetas para fora de sistemas solares nos primeiros estágios de desenvolvimento, lê-se em um artigo da revista Astrophysical Journal.

“De acordo com nossas estimativas, a maior parte das luas está em órbitas instáveis, enquanto planetas interagem intensivamente um com outro. Apenas entre 10 e 12% delas se tornam satélites, explica Johathan Lunine, pesquisador da Universidade Cornell.

“A maioria delas são jogadas no espaço interstelar, colidem com planetas gasosos ou se tornam ‘planetas’ autônomos, girando, assim, em torno de uma estrela”, acrescenta.

Durante as últimas duas décadas, foram descobertas quase quatro mil planetas girando em torno de estrelas distantes, muitos deles habitam grandes sistemas siderais. Em todo este período, apenas uma exolua foi descoberta, bem como vários candidatos a se chamar assim, girando em torno de “exoplanetas”, que foram também “expulsos” de sistemas solares.

O primeiro satélite de um planeta fora do Sistema Solar foi descoberto em julho deste ano. Essa lua gira em torno do planeta Kepler-1625b, análogo de Saturno. São necessários 287 dias para que ela dê uma volta completa ao redor do planeta, estando praticamente no meio da “zona de vida”.

Esta descoberta, bem como a ausência de outras luas nos dados do Kepler-1625b, impulsionou questionamento entre astrônomos sobre quão frequentemente exoplanetas possuem satélites, se estes têm ou não sinais de vida na superfície, e por que durante todo este tempo foi descoberto apenas um único satélite natural.

Para obter respostas para estas perguntas, cientistas criaram um modelo computacional de um típico sistema sideral, onde planetas e luas apenas começaram a se formar. Os resultados do estudo foram publicados este mês no site da Universidade Cornell.

Planet Planet

Captura de uma exolua

Ao observarem o processo evolutivo, os pesquisadores descobriram uma característica interessante da vida de satélites de exoplanetas – a maior parte deles, aproximadamente 90%, desaparece durante um dos períodos mais intensos de desenvolvimento de sistemas siderais, quando planetas recém-nascidos se aproximam e começam a “empurrar” os outros, tentando jogar seus “vizinhos” no espaço aberto.

Como resultado, apenas uma pequena quantidade de luas, que possui características muito específicas, consegue sobreviver. Elas devem ser de um tamanho específico e se situar a certa distância do planeta para que possam sobreviver a este estágio de formação de planetas.

Segundo Lunine e seus colegas, isso explica por que astrônomos conseguiram descobrir apenas uma lua deste tipo, já que a maior parte delas foi “catapultada” ao espaço interstelar ou destruída durante interações gravitacionais.

Os cientistas adicionaram também que no vazio entre estrelas pode haver milhões de luas, pois a proporção é clara: a cada mil estrelas há aproximadamente cem luas “abandonadas”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

UE exportou mais de um bilhão de doses contra Covid-19, diz Comissão Europeia

A União Europeia exportou mais de um bilhão de doses de vacinas contra a Covid-19 para mais de 150 países. Essa quantidade representa a metade das doses produzidas na Europa, de acordo com dados …

Colin Powell, ex-secretário de Estado dos EUA, morre aos 84 anos

Primeiro negro a ocupar topo da diplomacia e da máquina militar americana, ex-general teve papel de destaque na Guerra do Golfo e arranhou sua credibilidade ao apoiar a invasão do Iraque uma década depois. Colin Powell, …

Criminosos usam escaneamento por código do próprio usuário para 'sequestrar' contas do WhatsApp

Em 2019, um relatório divulgado pelo laboratório de pesquisa da empresa de segurança virtual Eset alertou que uma das formas crescentes de sequestro de contas do WhatsApp era feita por meio de um ataque conhecido …

EUA: Manobras de Trump bloqueiam investigação sobre invasão do Capitólio

Vários parceiros e associados do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusaram a comparecer à comissão da Câmara que investiga a invasão de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, sede do …

Dor nos olhos após COVID-19: cientistas explicam causa de complicação inesperada do vírus

Uma pesquisa de cientistas alemães mostrou que o coronavírus pode penetrar nos olhos e infectar os fotorreceptores e células ganglionares na retina. Isso pode ser uma causa de problemas com os olhos após a COVID-19. Os …

Estudo mostra como mudanças climáticas afetarão a energia hidrelétrica no Brasil

Um novo relatório publicado pela Global Environmental Change revela que, nas próximas décadas, as reduções de precipitação e vazão dos rios na região amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo e uma forte candidata …

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …