Benefícios da vacina de Oxford superam riscos, diz agência europeia

Após países da Europa suspenderem uso da vacina da AstraZeneca, Agência Europeia de Medicamentos reitera que não há indícios de que imunizante tenha causado coágulos, mas que casos estão sendo investigados.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) afirmou nesta terça-feira (16/03) que os benefícios de tomar a vacina para covid-19 desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford superam os riscos de eventuais efeitos colaterais.

A declaração foi dada após diversos países europeus suspenderem o uso do imunizante por causa de relatos de formação de coágulos sanguíneos em pessoas vacinadas, atrapalhando ainda mais os esforços de vacinação na Europa, em meio a dificuldades logísticas e resistência de parte da população.

A diretora executiva da EMA, Emer Cooke, afirmou que um comitê de cientistas está analisando os casos de coágulos e que ainda não há resultados conclusivos. Segundo ela, o comitê vai se reunir na quinta-feira para chegar a uma conclusão e assessorar a EMA.

Cooke ressalvou, porém, que situações como essas não são inesperadas quando milhões de pessoas são vacinadas e que os casos de coágulos sanguíneos ocorreram em um número muito pequeno de pessoas vacinadas.

Segundo a AstraZeneca, houve 37 relatos de coágulos sanguíneos entre as mais de 17 milhões de pessoas que receberam a chamada vacina de Oxford na União Europeia e no Reino Unido. “Isto é muito menos do que seria esperado ocorrer naturalmente numa população em geral deste tamanho e é similar ao verificado com outras vacinas contra covid-19 licenciadas”, afirmou a empresa anglo-sueca.

Cooke também ressaltou que o número de casos observados entre as pessoas vacinadas não parece ser maior do que o visto entre a população em geral. Milhares de pessoas desenvolvem coágulos sanguíneos na União Europeia todos os anos, pelos mais variados motivos, apontou.

“No momento, não há indícios de que a vacinação tenha causado esses casos. Nos estudos clínicos, tanto as pessoas vacinadas como as que receberam placebo apresentaram um pequeno número de casos de formação de coágulos sanguíneos”, disse. “Temos dados clínicos que mostram segurança e eficácia em grandes populações […] Continuamos convencidos de que os benefícios superam os riscos.”

A diretora da EMA também descartou que possa haver um problema num lote específico da vacina, já que, segundo ela, “à medida em que mais casos são relatados, há mais lotes envolvidos”. Porém, ela disse que os temores estão sendo levados a sério e que será feita uma análise científica séria e detalhada.

Além de Alemanha e França, Itália, Espanha, Dinamarca, Noruega, Suécia, Holanda, Islândia, a Irlanda e a Bulgária também suspenderam o uso do imunizante. A Áustria parou de usar doses de um lote da AstraZeneca na semana passada depois que uma mulher morreu por trombose múltipla após ser vacinada. Estônia, Letônia, Lituânia, Luxemburgo e Romênia também suspenderam o uso do mesmo lote de 1 milhão de doses, enviadas para 17 países da UE.

OMS e especialistas defendem vacina

Além da EMA e da própria AstraZeneca, a Organização Mundial da Saúde (OMS) defendeu o uso da vacina de Oxford. Na última sexta-feira, a OMS afirmou que “não há razão para deixar de usar” o imunizante.

A agência de medicamentos do Reino Unido também afirmou na segunda-feira que as evidências “não sugerem” que a vacina de Oxford provoca coágulos sanguíneos e pediu que as pessoas continuem a se vacinar.

Médicos e especialistas em saúde pública da Europa criticaram a decisão de suspender o uso da vacina, reiterando que estudos clínicos e a vacinação de milhões de pessoas no Reino Unido mostraram que o imunizante é seguro, e que não há indícios de relação causal entre a vacina e coágulos.

Dificuldades na Europa e no Brasil

A vacina da AstraZeneca foi aprovada para uso na União Europeia no final de janeiro, porém vem enfrentando dificuldades. Inicialmente, houve dúvidas sobre sua eficácia em pessoas com 65 anos ou mais, depois sanadas com a divulgação de um novo conjunto de dados de ensaios clínicos. O bloco comprou 400 milhões de doses da vacina, mas a farmacêutica foi forçada a reduzir as entregas previstas devido a problemas de produção.

No Brasil, a vacina de Oxford foi a principal aposta feita pelo governo do presidente Jair Bolsonaro para imunizar sua população, por meio de um acordo assinado em julho de 2020 entre a AstraZeneca e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A previsão inicial da Fiocruz era entregar 30 milhões de doses ainda em 2020, o que não se confirmou. Houve atrasos na importação do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) da China. e as primeiras doses do imunizante vieram prontas da Índia e foram aplicadas em brasileiros apenas em 23 janeiro deste ano.

Em seguida, um problema no equipamento da Fiocruz que coloca lacres de alumínio nas vacinas novamente atrasou o cronograma. A fundação espera entregar nesta semana o primeiro lote da vacina produzida no Brasil, com 1 milhão de doses, e em seguida elevar o ritmo de entrega.

Por esse motivo, cerca de 80% das doses de vacinas contra a covid-19 aplicadas no Brasil até agora são da chinesa Coronavac, produzida em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo, segundo cálculo da Rede Análise Covid-19.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Estudo de terapia com MDMA é tão poderoso que 67% dos voluntários foram curados de trauma

Um teste clínico em humanos inovador alcançou resultados extremamente estatisticamente significativos e uma excelente taxa de segurança, demonstrando que a terapia psicodélica assistida por MDMA pode ser um tratamento eficaz para transtorno de estresse pós-traumático …

Bolsonaro diz que pessoas que cumprem isolamento são "idiotas"

Presidente critica apelos para que brasileiros restrinjam os contatos sociais em meio à pandemia, que já provocou 435 mil mortes no país. "Tem alguns idiotas que até hoje ficam em casa", diz. O Presidente Jair Bolsonaro …

EUA vão fornecer 20 milhões de vacinas contra Covid-19 para outros países

Os Estados Unidos fornecerão 20 milhões de doses adicionais de vacinas contra a Covid-19 para outros países até o final de junho, elevando o total destinado ao exterior para 80 milhões de doses. O …

Demi Lovato vai comandar programa de TV investigativo sobre OVNIs

A atriz e cantora Demi Lovato está prestes a se aventurar em um desafio de outro mundo. A artista anunciou na última semana a sua participação em uma série limitada para a plataforma de streaming …

CPI da Covid: como 'isolamento vertical' pode virar arma contra Bolsonaro

Uma das linhas de investigação da CPI da Covid apura se o governo federal adotou a estratégia da imunidade de rebanho, ou seja, a obtenção da imunidade coletiva por meio da infecção da população, no …

Astrônomos continuam encontrando inexplicáveis anéis circulares misteriosos no céu

Nos últimos anos, astrônomos avistaram vários objetos de rádio gigantescos e quase perfeitamente circulares no universo distante. Embora ninguém tenha uma explicação para essas entidades misteriosas ainda, uma equipe adicionou recentemente outra ao seu catálogo, …

Conflito tem seu dia mais sangrento em Gaza

Bombardeios israelenses deixam pelo menos 42 palestinos mortos e elevam total de vítimas a 188. Netanyahu diz que ataques continuarão. Sem um cessar-fogo à vista, o atual conflito entre Israel e Hamas teve neste domingo (16/05) …

Apple é acusada de enganar usuários através de aplicativos fraudulentos na App Store

A Apple segue batendo recordes financeiros. No entanto, escândalos um atrás do outro aumentam a preocupação em torno da App Store. Após chamar a atenção internacional com as recentes revelações sobre a existência de cassinos ocultos …

Chile escolhe representantes para elaborar nova Constituição

O domingo foi o último dia de votação no Chile para a escolha dos redatores da nova Constituição do país. Os 155 representantes eleitos terão a tarefa de mudar o texto herdado da ditadura. …

China consegue pousar veículo não tripulado em Marte

A China conseguiu neste sábado pousar um veículo autônomo não tripulado em Marte. A fase final da operação Tianwen-1 aconteceu sem falhas, informou a TV estatal chinesa, que transmitiu um programa especial chamado Alo …