Pela primeira vez, Brasil apoia embargo dos EUA a Cuba na ONU

Beto Barata / PR

Presidente Michel Temer faz o discurso de abertura da 72ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU)

Pelo 28º ano consecutivo, o embargo dos EUA imposto a Cuba há quase seis décadas foi condenado nesta quinta-feira (7) por uma esmagadora maioria na Assembleia Geral da ONU, onde a resolução cubana obteve 187 votos contra três, os dos Estados Unidos, Israel e pela primeira vez, o Brasil.

O embargo dos EUA, imposto há 57 anos e endurecido várias vezes, não conseguiu derrubar o governo do Partido Comunista Cubano.

Mas o presidente Donald Trump, que busca uma mudança de regime em Cuba e na Venezuela e considera Havana responsável pela sobrevivência do governo de Nicolás Maduro, até aumentou as sanções contra a ilha no quadro de sua luta contra “Cubazuela”, termo cunhado por seu representante diplomático para a América Latina.

Após dois dias de debates em que dezenas de países chicotearam o embargo por considera-lo “anacrônico” e “desumano”, o Brasil rompeu com sua tradição de exigir o fim do embargo sob a liderança do novo presidente de extrema direita Jair Bolsonaro, aliado de Trump e feroz oposição do socialismo.

Apenas dois países se abstiveram: a Ucrânia e, pela primeira vez, a Colômbia, cujo presidente de direita Iván Duque é outro grande aliado de Washington.

O governo cubano diz que, desde que o presidente John F. Kennedy impôs o embargo a Cuba em fevereiro de 1962, menos de um ano depois que Fidel Castro declarou o caráter socialista da revolução, causou danos à ilha de mais US $ 138.000 à taxa de câmbio atual.

Sufoco econômico

Os Estados Unidos “não escondem seu propósito de sufocar economicamente Cuba e aumentar danos, privações e sofrimento ao nosso povo”, disse o ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, que denunciou “uma escalada de agressão a Cuba” por Trump.

“É hora de parar com a demência imperialista”, lançou ao seu lado o ministro venezuelano das Relações Exteriores Jorge Arreaza, que viajou a Nova York para participar do debate.

A política dos EUA em relação a Cuba “fracassou, assim como o golpe contra Maduro”, disse Arreaza. Mas “a América Latina e o Caribe não são e nunca serão quintais de nenhum império”.

Há um ano, a resolução que pedia o fim do embargo contra Cuba foi apoiada na ONU por 189 países e rejeitada apenas pelos Estados Unidos e Israel, como em 2017. A Ucrânia e a Moldávia se abstiveram.

Somente uma vez, em 2016, Washington se absteve de votar contra a resolução que condenava o embargo em um contexto da abordagem de Barack Obama à ilha, que incluiu a reabertura de embaixadas nas duas capitais em 2015.

Violações dos direitos humanos

Mas Trump reverteu essa política e continua a aumentar a pressão com novas sanções que causaram uma crise de energia e combustível e que busca reduzir pela metade o turismo para Cuba, visitado no ano passado por 600.000 americanos.

Os Estados Unidos dizem que o embargo é necessário para punir um governo que viola os direitos humanos de seu próprio povo e onde mais de 50.000 ativistas, jornalistas e outros foram presos arbitrariamente desde 2010, segundo a embaixadora da ONU Kelly Kraft.

“Os Estados Unidos não são responsáveis pelos infindáveis abusos do regime contra seu próprio povo; não aceitamos nenhuma responsabilidade por isso”, disse Kraft à Assembleia, reivindicando o direito de seu país de negociar com quem ele quiser.

Além disso, ele disse que “Cuba contribui ativamente para a instabilidade regional” e “colabora com o regime de Maduro, perpetuando uma crise humanitária e econômica que se estende para além das fronteiras da Venezuela”, afirmou.

O embargo fracassou e a política dos EUA em relação a Cuba é um modelo de “diplomacia desperdiçada” que está punindo os novos pequenos empresários cubanos, Christopher Sabatini, pesquisador do centro de análise Chatham House para a América Latina e professor da Universidade de Columbia.

“As transições democráticas da União Soviética e da Europa Oriental não ocorreram quando esses países estavam sob embargo”, lembrou. Na sua opinião, as sanções “estão levando os cubanos mais para os braços dos russos e o que resta do apoio ao petróleo venezuelano; portanto, está tendo o efeito oposto“, como desejado.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Governo argentino é alvo de roubo de 10 anos de arquivos administrativos

O governo da Argentina foi alvo de um ataque por meio de um ransonware e está com cerca de 10 anos de dados públicos sequestrados desde do dia 25 de novembro. Em entrevista, a ministra da …

Lausanne, na Suíça, é a melhor cidade pequena do mundo

A cidade de Lausanne, na Suíça, foi considerada a melhor cidade pequena do mundo pela influente revista britânica “Monocle”. A publicação fez uma lista com as 25 melhores cidades pequenas do mundo, com população …

Esse organismo unicelular toma "decisões" complexas mesmo sem um cérebro

Um organismo unicelular de água fresca chamado Stentor roeseli demonstra comportamento inteligente. Ele foi descoberto em 1906, e quando estimulado no microscópio, essa criatura com formato de trompete conseguiu tomar decisões consideradas complexas para um …

Rússia é banida de eventos esportivos mundiais por quatro anos

Decisão deixará o país de fora dos Jogos Olímpicos de 2020 e da Copa do Mundo de Futebol de 2022. Agência Mundial Antidoping (Wada) conclui que Moscou manipulou dados laboratoriais de seus atletas. A Rússia está …

Pessoas em situação de rua viram guias turísticos na Irlanda

Olha só que iniciativa maravilhosa. Na Irlanda, o projeto ‘Secret Street Tours’ treina pessoas em situação de rua para usar seu conhecimento sobre a cidade para serem guias de turistas em tours pela cidade de …

Cientistas finalmente criam neurônios artificiais

Uma equipe internacional liderada por pesquisadores da Universidade de Bath (Inglaterra) realizou um feito inédito: conseguiu reproduzir a atividade biológica de neurônios usando chips de silicone. E o que é ainda melhor: esses “neurônios artificias” requerem …

Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo

A Huawei oficializou, nesta quinta-feira, 5, uma plataforma de auxílio aos desenvolvedores para publicarem e divulgarem seus aplicativos para os dispositivos da companhia. Chamada Huawei Ability Gallery, trata-se de uma expansão do ecossistema da App Gallery, …

Metrô de Paris ficará em greve até segunda-feira contra reforma da Previdência

A greve dos metroviários de Paris contra o projeto de reforma da Previdência francesa foi prorrogada até segunda-feira (9). Nas assembleias-gerais realizadas pela categoria na manhã de quinta-feira (5), primeiro dia da paralisação, quase todos os …

"Operação Maleta Verde", o escândalo que atinge governo e oposição na Venezuela

Com semblante mais sério que de costume, Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino da Venezuela pelos Estados Unidos, pelo parlamento da União Europeia e por vários países da América Latina, dirigiu-se a jornalistas reunidos em …

Sarampo causou mais de 140 mil mortes em 2018

De acordo com OMS, maioria das vítimas tinha menos de cinco anos de idade e não havia sido vacinada. No ano passado, foram registrados quase 10 milhões de casos da doença no mundo. O sarampo causou …