Pela primeira vez, Brasil apoia embargo dos EUA a Cuba na ONU

Beto Barata / PR

Presidente Michel Temer faz o discurso de abertura da 72ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU)

Pelo 28º ano consecutivo, o embargo dos EUA imposto a Cuba há quase seis décadas foi condenado nesta quinta-feira (7) por uma esmagadora maioria na Assembleia Geral da ONU, onde a resolução cubana obteve 187 votos contra três, os dos Estados Unidos, Israel e pela primeira vez, o Brasil.

O embargo dos EUA, imposto há 57 anos e endurecido várias vezes, não conseguiu derrubar o governo do Partido Comunista Cubano.

Mas o presidente Donald Trump, que busca uma mudança de regime em Cuba e na Venezuela e considera Havana responsável pela sobrevivência do governo de Nicolás Maduro, até aumentou as sanções contra a ilha no quadro de sua luta contra “Cubazuela”, termo cunhado por seu representante diplomático para a América Latina.

Após dois dias de debates em que dezenas de países chicotearam o embargo por considera-lo “anacrônico” e “desumano”, o Brasil rompeu com sua tradição de exigir o fim do embargo sob a liderança do novo presidente de extrema direita Jair Bolsonaro, aliado de Trump e feroz oposição do socialismo.

Apenas dois países se abstiveram: a Ucrânia e, pela primeira vez, a Colômbia, cujo presidente de direita Iván Duque é outro grande aliado de Washington.

O governo cubano diz que, desde que o presidente John F. Kennedy impôs o embargo a Cuba em fevereiro de 1962, menos de um ano depois que Fidel Castro declarou o caráter socialista da revolução, causou danos à ilha de mais US $ 138.000 à taxa de câmbio atual.

Sufoco econômico

Os Estados Unidos “não escondem seu propósito de sufocar economicamente Cuba e aumentar danos, privações e sofrimento ao nosso povo”, disse o ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, que denunciou “uma escalada de agressão a Cuba” por Trump.

“É hora de parar com a demência imperialista”, lançou ao seu lado o ministro venezuelano das Relações Exteriores Jorge Arreaza, que viajou a Nova York para participar do debate.

A política dos EUA em relação a Cuba “fracassou, assim como o golpe contra Maduro”, disse Arreaza. Mas “a América Latina e o Caribe não são e nunca serão quintais de nenhum império”.

Há um ano, a resolução que pedia o fim do embargo contra Cuba foi apoiada na ONU por 189 países e rejeitada apenas pelos Estados Unidos e Israel, como em 2017. A Ucrânia e a Moldávia se abstiveram.

Somente uma vez, em 2016, Washington se absteve de votar contra a resolução que condenava o embargo em um contexto da abordagem de Barack Obama à ilha, que incluiu a reabertura de embaixadas nas duas capitais em 2015.

Violações dos direitos humanos

Mas Trump reverteu essa política e continua a aumentar a pressão com novas sanções que causaram uma crise de energia e combustível e que busca reduzir pela metade o turismo para Cuba, visitado no ano passado por 600.000 americanos.

Os Estados Unidos dizem que o embargo é necessário para punir um governo que viola os direitos humanos de seu próprio povo e onde mais de 50.000 ativistas, jornalistas e outros foram presos arbitrariamente desde 2010, segundo a embaixadora da ONU Kelly Kraft.

“Os Estados Unidos não são responsáveis pelos infindáveis abusos do regime contra seu próprio povo; não aceitamos nenhuma responsabilidade por isso”, disse Kraft à Assembleia, reivindicando o direito de seu país de negociar com quem ele quiser.

Além disso, ele disse que “Cuba contribui ativamente para a instabilidade regional” e “colabora com o regime de Maduro, perpetuando uma crise humanitária e econômica que se estende para além das fronteiras da Venezuela”, afirmou.

O embargo fracassou e a política dos EUA em relação a Cuba é um modelo de “diplomacia desperdiçada” que está punindo os novos pequenos empresários cubanos, Christopher Sabatini, pesquisador do centro de análise Chatham House para a América Latina e professor da Universidade de Columbia.

“As transições democráticas da União Soviética e da Europa Oriental não ocorreram quando esses países estavam sob embargo”, lembrou. Na sua opinião, as sanções “estão levando os cubanos mais para os braços dos russos e o que resta do apoio ao petróleo venezuelano; portanto, está tendo o efeito oposto“, como desejado.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Viagem tripulada a Marte seria melhor com passagem por Vênus, afirmam astrônomos

De acordo com cientistas norte-americanos, cálculos das órbitas entre a Terra e Marte os levaram a concluir que tais viagens seriam mais rápidas, eficientes, e permitiriam estudar os dois planetas. Uma viagem da Terra a Marte …

EUA: Suprema corte autoriza a divulgação de documentos financeiros de Trump

A Suprema Corte dos Estados Unidos impôs uma grande derrota a Donald Trump, ao decidir que um procurador de Nova York tem direito de acesso a vários documentos financeiros do presidente, incluindo declarações de …

O fenômeno "água morta", observado a mais de cem anos, é finalmente explicado

Finamente uma equipe com especialistas de múltiplas áreas CNRS e da Universidade de Poitiers, ambas na França, decifrou a misteriosa ocorrência pela primeira vez. O estranho é fenômeno que desacelera navios ou faz que eles parem …

Pode mesmo haver vida nas nuvens de Vênus, dizem cientistas

Quem gosta de astronomia não deve saber que Vênus não é o mais habitável dos planetas. Com temperaturas em torno de 470ºC e com uma atmosfera formada por dióxido de carbono e nitrogênio noventa vezes …

Cientistas rebatem decisão da China de coletar DNA de homens e meninos

Um relatório que revelou que a China está coletando DNA de milhões de pessoas para ajudar a solucionar crimes. Essa informação tem levantado preocupações entre os pesquisadores sobre privacidade e consentimento, sob o argumento de que …

China revela análise de substância estranha encontrada na Lua em 2019

Em julho de 2019, a equipe da missão chinesa Chang'e 4 encontrou uma substância estranha na Lua. A descoberta foi anunciada em agosto do mesmo ano, chamando a atenção da comunidade científica, mas nada foi …

Cientistas alertam OMS para transmissão aérea do coronavírus além de dois metros

A transmissão aérea do novo coronavírus interpela os especialistas desde o início da pandemia. Nessa segunda-feira, um grupo de 239 cientistas alertou as autoridades de saúde do mundo inteiro, e em particular a OMS, …

Governo tem que tirar garimpeiros de terras yanomami em 15 dias para começar a enfrentar covid-19 em áreas indígenas

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou que o Governo Federal deveria retirar os garimpeiros das terras yanomami de Roraima como medida para conter o avanço do novo coronavírus nos territórios indígenas. A decisão liminar …

Encontrada a origem da vida no universo

Uma estrela morre por segundo no universo. Mas esses objetos estelares não somem totalmente, algo sempre fica para trás. Certas estrelas entram em supernova, que geram um buraco negro ou uma estrela de nêutrons, enquanto a …

Bolsonaro afirma que está com covid-19

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (07/07) que seu exame para detectar a covid-19 teve resultado positivo. Bolsonaro, de 65 anos, se submeteu ao exame na segunda-feira, após dizer que estava sentindo sintomas leves da …