Cientistas ainda estudam consequências de iceberg gigante na Antártica

John Sonntag / NASA

Foto aérea da NASA revela uma enorme rachadura na geleira Larsen C

Foto aérea da NASA revela uma enorme rachadura na geleira Larsen C

No início desta semana, um iceberg de 1 trilhão de toneladas se desligou da gigantesca plataforma de gelo Larsen C, na Antártica, de acordo com um comunicado divulgado pelo Projeto Midas, formado por um grupo de cientistas britânicos que monitoram Larsen C por meio de satélites.

A separação ocorreu entre a segunda-feira (10) e a quarta-feira (12), resultando em um iceberg de 5.800 quilômetros quadrados, equivalente em tamanho ao território do Distrito Federal. O fenômeno era esperado pelos pesquisadores que vigiam uma fenda na plataforma desde 2010, e previam a separação, mas as consequêncisas do evento ainda estão sendo estudadas.

Em comunicado à imprensa, o professor Adrian Luckman, da Universidade de Swansea, principal pesquisador do projeto Midas, informou que o impacto do rompimento em Larsen C será acompanhado, assim como destino do enorme bloco de gelo.

O iceberg é um dos maiores já registrado e seu progresso futuro é difícil de prever. Pode permanecer em uma só peça, mas é mais provável que se divida em fragmentos. Um pouco do gelo pode permanecer na área por décadas, enquanto partes do iceberg podem se dirigir para o norte em águas mais quentes”, avalia Luckman. O novo iceberg é um dos dez maiores monitorados por satélite e deve ser chamado de A68.

O enorme bloco de gelo à deriva no oceano não deve alterar imediatamente o nível do mar. Segundo os cientistas, como a plataforma de gelo Larsen C já estava flutuando, a separação não deslocou água extra.

Larsen C tem uma espessura entre 200 e 600 metros e flutua no oceano à beira da Península Antártica, impedindo o fluxo de geleiras que a alimentam. Com a separação, a área de Larsen C foi reduzida em mais de 12%.

Os pesquisadores britânicos alertam que caso a plataforma continue perdendo blocos de gelo, isso pode resultar na separação de geleiras rumo ao oceano, o que poderia levar a uma elevação de até 10 centímetros no nível do mar. A avaliação dos cientistas é que a nova configuração da plataforma deverá ser menos estável que antes da fenda, aumentando o risco de que ela se desintegre.

“Embora haja um debate abundante sobre isso, nossa pesquisa mostra que a plataforma de gelo restante pode ser menos estável e, eventualmente, seguir o exemplo do vizinho do norte Larsen B. Outros cientistas esperam que a plataforma de gelo se reconstitua, mas só o tempo irá dizer.”, informou o Projeto Midas em nota à imprensa.

Em relação ao impacto do rompimento na biodiversidade, os cientistas garantem que a ave símbolo da região não será prejudicado. “Os pinguins vivem onde podem acessar peixes no mar. A plataforma de gelo tem uma espessura de cerca de 200 metros na sua borda externa.

Uma vez que nove décimos deles estão debaixo d’água, como em qualquer iceberg, o penhasco na borda do mar tem pelo menos 20 metros de altura. Os pinguins podem pular, mas não tão altos.”

No site do Projeto Midas, os pesquisadores também esclarecem que não há provas que liguem o episódio ao aquecimento global.

“Não temos evidências para vincular este evento às mudanças climáticas. Embora a progressão geral do lado esquerdo da plataforma Larsen C de gelo para baixo da Península Antártica tenha sido associada ao aquecimento do clima, essa fenda parece ter se desenvolvido por muitas décadas e o resultado provavelmente é natural”, informaram.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Mistura inusitada de amônia e água cria raios superficiais e granizos em Júpiter

Júpiter, o maior gigante gasoso do Sistema Solar, é um lugar coberto por tempestades estranhas. O que os cientistas ainda não sabiam é que no meio dessas tormentas, existem raios de natureza bem diferente dos …

Emocionante avanço da teoria para a realidade: bizarro efeito quântico é observado

No núcleo toda estrela anã branca — o denso resto de uma estrela que queimou todo seu combustível — existe um fenômeno quântico enigmático: enquanto ganha massa ela reduz de tamanho chegando a um ponto …

Estudo prevê 300 mil mortes por covid até fim do ano nos EUA

Pesquisadores da Universidade de Washington pintam cenário sombrio caso restrições não sejam respeitadas. Enquanto primeiros epicentros registram queda, outros estados americanos divulgam taxas de infecções recordes. A epidemia de covid-19 deve matar aproximadamente 300 mil americanos …

Coronavírus: Exportações devem cair mais de 20% na América Latina, diz ONU

As exportações da América Latina e do Caribe podem cair mais de 20% em 2020 devido às consequências da pandemia do coronavírus, que também terá um impacto negativo nas importações, disse uma agência da …

O que é nitrato de amônio, que pode provocar explosões como a de Beirute?

A recente tragédia no país árabe trouxe de novo à tona preocupações sobre o armazenamento do perigoso material, tornando necessário saber como esses incidentes ocorrem para os prevenir. A explosão de nitrato de amônio em Beirute, …

Astrônomos descobrem nuvens gigantes "escondidas" em Vênus há 35 anos

Uma equipe de astrônomos encontrou nuvens venenosas, com gotas de ácido sulfúrico em sua formação, em meio à densa atmosfera de Vênus. Curiosamente, essas nuvens já estavam presente na atmosfera venusiana há pelo menos 35 anos, …

Japão lembra 75 anos de bomba de Hiroshima e pede união contra armas nucleares

Esta quinta-feira (6) marca o 75º aniversário do primeiro ataque com bomba atômica do mundo. Cerca de 140 mil pessoas morreram no bombardeio à cidade japonesa, realizado pelo Estados Unidos no fim da Segunda Guerra …

Donald Trump determina bloqueio do TikTok e WeChat nos EUA em 45 dias

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump assinou na noite de ontem (6) uma ordem executiva determinando o fim de relações com as empresas responsáveis pelos apps TikTok e WeChat no país norte-americano. Em comunicado emitido …

Brasil caminha para ter 200 mil mortes pelo coronavírus até outubro, diz especialista

Na semana em que o Brasil deverá registrar 100 mil mortes pelo novo coronavírus, um especialista brasileiro indica que o país caminha para dobrar esse número em dois meses, atingindo 200 mil óbitos pela pandemia …

Petição defende que França assuma controle do Líbano

Suspeita de que desastre em Beirute foi causado por negligência eleva indignação dos libaneses, que pedem mandato francês pelos próximos dez anos no país. Apelo recebe mais de 50 mil assinaturas após visita de Macron. Quase …