“Continuamos aqui”: Hong Kong protesta pelo 10° fim de semana consecutivo

Depois de um sábado (10) de intensos protestos, os manifestantes voltaram a ocupar as ruas de Hong Kong neste domingo (11), no décimo fim de semana consecutivo de mobilização pró-democracia. Novos confrontos entre a polícia e militantes foram registrados.

Continuamos aqui”, afirma a manifestante Wong, de 25 anos. A jovem se diz particularmente preocupada com a proibição dos protestos e teme pelo futuro da liberdade de expressão no território. “Não será bom para Hong Kong que todo mundo tenha medo e que ninguém ouse mais ir para as ruas”, diz.

Milhares de manifestantes ignoraram a proibição das autoridades de protestar e enfrentaram a polícia em diferentes pontos do território. Forças de segurança utilizaram bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os protestos. Militantes responderam atirando pedras.

Até no bairro operário de Sham Shui Po, em Kowloon, onde qualquer tipo de manifestação é proibida, milhares de pessoas montaram barricadas e bloquearam as estradas. Protestos também foram foram registrados no Victoria Park, um dos principais pontos turísticos da cidade. Enquanto isso, no aeroporto internacional, jovens continuam ocupando o saguão desde a sexta-feira (9) para sensibilização dos turistas que chegam ao território.

Batalha da última chance

Em menos de 48 horas, militantes organizaram um grande encontro com deputados pró-democracia, funcionários públicos e professores no Victoria Park. Vários deles discursaram em uma tribuna improvisada. Um trabalhador, emocionado, explicou como foi preso pela polícia durante uma manifestação e o risco que corre de perder seu emprego.

Uma professora convocou toda a população do território para protestar. “Se perdemos, será para sempre”, falou à RFI, destacando “a batalha da última chance” em prol da democracia e da liberdade. Militante da antiga “Revolução dos Guardas-Chuvas”, ela defende também uma nova greve geral.

A ideia de uma nova paralisação, como a da última segunda-feira, é apoiada pelos participantes. O objetivo é principalmente conseguir mobilizar o setor dos transportes públicos, para que o governo se sinta pressionado a ouvir as reivindicações dos manifestantes.

Governo promete não ceder

À RFI militantes explicam que o governo realiza coletivas de imprensa, investe na comunicação contra o movimento, mas não responde a nenhum dos principais pedidos dos manifestantes, cujo projeto de lei que prevê extradições para a China, continua no topo da lista.

A demissão da chefe de governo Carrie Lam é outra das principais reivindicações. Os militantes querem o direito de escolher seu representante através de eleições diretas. Atualmente, o governo chinês é quem indica o chefe de governo de Hong Kong.

Duramente reprimidos pela polícia, os militantes também pedem uma investigação independente sobre a violência utilizada para dispersar os protestos. Já a China recomenda a Hong Kong o endurecimento das ações policiais durante as mobilizações, enquanto Lam se recusa a fazer qualquer concessão aos manifestantes.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Primeiro-ministro renuncia e coloca fim a governo na Itália

Em discurso no Senado, Giuseppe Conte anuncia que vai deixar o cargo e acusa seu vice, Matteo Salvini, por crise na coalizão de governo. Presidente deve decidir sobre convocação de novas eleições. O primeiro-ministro italiano, Giuseppe …

Governo de Hong Kong espera "volta à calma" sem ceder a demandas de manifestantes

A chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam, disse esperar que "uma volta à calma" esteja a caminho no território, depois que a grande manifestação do último domingo (18) acabou sem violência. Depois de …

Cientista americana diz ter certeza que a Terra será atingida por um asteroide

Uma cientista americana de uma ONG dedicada a proteger a Terra diz que é 100% certo que um asteroide atingirá nosso planeta. A cientista é Danica Remy, presidente da Fundação B612. Após a quase colisão da …

Justiça de El Salvador absolve acusada de homicídio por suspeita de aborto

Promotoria pedia pena de 40 anos de prisão para vítima de estupro que dizia não saber da gravidez até o momento do parto. País da América Central possui uma das legislações mais rigorosas do mundo …

EUA testam míssil após deixarem tratado nuclear

Os Estados Unidos anunciaram nesta segunda-feira (19/08) que realizaram um teste com um míssil de cruzeiro. Esse é o primeiro teste feito pelo país desde que deixou oficialmente o Tratado de Forças Nucleares de Alcance …

Astrônomos descobrem 39 galáxias antigas movendo-se tão rápido que nem mesmo o Hubble consegue vê-las

Astrônomos da Universidade de Tóquio (Japão) conseguiram detectar 39 galáxias muito antigas, do início do nosso universo, utilizando dados do espectro infravermelho de telescópios submilimétricos. A luz destas estrelas viajou nada menos que 11 bilhões de …

Trump confirma ter interesse em comprar Groenlândia

O presidente dos EUA, Donald Trump, confirmou em entrevista com jornalistas que tem interesse na compra da Groenlândia. O cientista político Vladimir Shapovalov comenta a declaração do líder norte-americano em entrevista ao serviço russo da …

Brexit sem acordo: tempos duros para britânicos, confirma relatório vazado

Segundo documento do governo vazado para imprensa, Reino Unido estará sujeito a meses de caos de transportes e carência de artigos básicos, caso se separe da UE sem um acordo de transição, como propõe o …

Pesquisadores criam adesivos corporais que verificam a saúde

A universidade de Stanford anunciou um novo experimento: adesivos corporais que leem informações a respeito da saúde da pessoa. Basicamente, os adesivos captam os sinais fisiológicos que emanam da pele, e então transmitem essas leituras de …

Bolsonaro se engana e critica Noruega com vídeo dinamarquês

O presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar a Noruega, que anunciou na semana passada a suspensão de repasses ao Fundo Amazônia. O mandatário, cujas políticas ambientais têm sido alvo de críticas internacionais, publicou um vídeo …