“Continuamos aqui”: Hong Kong protesta pelo 10° fim de semana consecutivo

Depois de um sábado (10) de intensos protestos, os manifestantes voltaram a ocupar as ruas de Hong Kong neste domingo (11), no décimo fim de semana consecutivo de mobilização pró-democracia. Novos confrontos entre a polícia e militantes foram registrados.

Continuamos aqui”, afirma a manifestante Wong, de 25 anos. A jovem se diz particularmente preocupada com a proibição dos protestos e teme pelo futuro da liberdade de expressão no território. “Não será bom para Hong Kong que todo mundo tenha medo e que ninguém ouse mais ir para as ruas”, diz.

Milhares de manifestantes ignoraram a proibição das autoridades de protestar e enfrentaram a polícia em diferentes pontos do território. Forças de segurança utilizaram bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os protestos. Militantes responderam atirando pedras.

Até no bairro operário de Sham Shui Po, em Kowloon, onde qualquer tipo de manifestação é proibida, milhares de pessoas montaram barricadas e bloquearam as estradas. Protestos também foram foram registrados no Victoria Park, um dos principais pontos turísticos da cidade. Enquanto isso, no aeroporto internacional, jovens continuam ocupando o saguão desde a sexta-feira (9) para sensibilização dos turistas que chegam ao território.

Batalha da última chance

Em menos de 48 horas, militantes organizaram um grande encontro com deputados pró-democracia, funcionários públicos e professores no Victoria Park. Vários deles discursaram em uma tribuna improvisada. Um trabalhador, emocionado, explicou como foi preso pela polícia durante uma manifestação e o risco que corre de perder seu emprego.

Uma professora convocou toda a população do território para protestar. “Se perdemos, será para sempre”, falou à RFI, destacando “a batalha da última chance” em prol da democracia e da liberdade. Militante da antiga “Revolução dos Guardas-Chuvas”, ela defende também uma nova greve geral.

A ideia de uma nova paralisação, como a da última segunda-feira, é apoiada pelos participantes. O objetivo é principalmente conseguir mobilizar o setor dos transportes públicos, para que o governo se sinta pressionado a ouvir as reivindicações dos manifestantes.

Governo promete não ceder

À RFI militantes explicam que o governo realiza coletivas de imprensa, investe na comunicação contra o movimento, mas não responde a nenhum dos principais pedidos dos manifestantes, cujo projeto de lei que prevê extradições para a China, continua no topo da lista.

A demissão da chefe de governo Carrie Lam é outra das principais reivindicações. Os militantes querem o direito de escolher seu representante através de eleições diretas. Atualmente, o governo chinês é quem indica o chefe de governo de Hong Kong.

Duramente reprimidos pela polícia, os militantes também pedem uma investigação independente sobre a violência utilizada para dispersar os protestos. Já a China recomenda a Hong Kong o endurecimento das ações policiais durante as mobilizações, enquanto Lam se recusa a fazer qualquer concessão aos manifestantes.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

O misterioso "Monstro Tully" acaba de ficar ainda mais esquisito

Um fóssil de 300 mil anos descoberto na década de 1950 no estado de Illinois (EUA) tem gerado muitas discussões entre cientistas. Batizado de Tullimonstrum, ou Monstro Tully, ele se parece com uma lesma. Mas …

Com asilo a Evo Morales, diplomacia mexicana dá passo à esquerda

México assume liderança esquerdista na América Latina ao receber o ex-presidente boliviano. Para analistas, medida desvia atenção de problemas internos, mas é jogo perigoso diante da dependência econômica dos EUA. A viagem de Evo Morales ao …

Incêndios florestais matam quatro pessoas e centenas de cangurus na Austrália

O número de vítimas pelos incêndios no leste da Austrália, onde 140 focos ainda continuam ativos, subiu para quatro nesta quinta-feira (14), com a descoberta de um cadáver perto da cidade de Kempsey, em Nova …

Holanda reduzirá limite de velocidade para combater poluição

O governo da Holanda reduzirá o limite máximo de velocidade nas rodovias do país como parte de uma série de medidas para combater as emissões de óxido de nitrogênio, geradas em grande parte por veículos …

A polêmica sobre campos de extermínio nazistas que opôs a Polônia ao Netflix

O primeiro-ministro da Polônia, Mateusz Morawiecki, enviou uma carta ao Netflix insistindo em mudanças no documentário The Devil Next Door (o diabo ao lado), sobre campos de extermínio nazistas. Na carta enviada no domingo, 10, e …

O único problema de ser filho único é o estigma

Filhos únicos possuem uma péssima reputação. Quantas vezes você não observou algum pai ser criticado por escolher ter apenas um pimpolho? “Ele vai ficar mimado, muito sozinho, egoísta, etc. etc. etc”. É um senso comum. Parece, …

Epidemia mundial: Pneumonia mata uma criança de menos de 5 anos a cada 39 segundos

O Dia Mundial da Pneumonia é comemorado em 12 de novembro. A data foi proposta pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a importância da prevenção da doença, …

Senadora se declara presidente da Bolívia

A parlamentar oposicionista e segunda vice-presidente do Senado Jeanine Áñez declarou-se presidente da Bolívia nesta terça-feira (12). Ela também afirmou que o país terá novas eleições após a formação de uma nova comissão eleitoral. "De acordo …

Bolsonaro anuncia saída do PSL

Em meio à crise por disputa de poder na legenda, presidente afirma que pretende criar novo partido. Cerca de 30 parlamentares aliados de Bolsonaro devem seguir exemplo e deixar o PSL. O presidente Jair Bolsonaro anunciou …

Israel mata comandante da Jihad Islâmica em ataque aéreo

Forças israelense bombardeiam casa de líder extremista na Faixa de Gaza. Militantes palestinos reagem disparando dezenas de mísseis contra Israel. Autoridades pedem que população fique em casa. Um importante comandante militar do grupo extremista palestino Jihad …