“Continuamos aqui”: Hong Kong protesta pelo 10° fim de semana consecutivo

Depois de um sábado (10) de intensos protestos, os manifestantes voltaram a ocupar as ruas de Hong Kong neste domingo (11), no décimo fim de semana consecutivo de mobilização pró-democracia. Novos confrontos entre a polícia e militantes foram registrados.

Continuamos aqui”, afirma a manifestante Wong, de 25 anos. A jovem se diz particularmente preocupada com a proibição dos protestos e teme pelo futuro da liberdade de expressão no território. “Não será bom para Hong Kong que todo mundo tenha medo e que ninguém ouse mais ir para as ruas”, diz.

Milhares de manifestantes ignoraram a proibição das autoridades de protestar e enfrentaram a polícia em diferentes pontos do território. Forças de segurança utilizaram bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os protestos. Militantes responderam atirando pedras.

Até no bairro operário de Sham Shui Po, em Kowloon, onde qualquer tipo de manifestação é proibida, milhares de pessoas montaram barricadas e bloquearam as estradas. Protestos também foram foram registrados no Victoria Park, um dos principais pontos turísticos da cidade. Enquanto isso, no aeroporto internacional, jovens continuam ocupando o saguão desde a sexta-feira (9) para sensibilização dos turistas que chegam ao território.

Batalha da última chance

Em menos de 48 horas, militantes organizaram um grande encontro com deputados pró-democracia, funcionários públicos e professores no Victoria Park. Vários deles discursaram em uma tribuna improvisada. Um trabalhador, emocionado, explicou como foi preso pela polícia durante uma manifestação e o risco que corre de perder seu emprego.

Uma professora convocou toda a população do território para protestar. “Se perdemos, será para sempre”, falou à RFI, destacando “a batalha da última chance” em prol da democracia e da liberdade. Militante da antiga “Revolução dos Guardas-Chuvas”, ela defende também uma nova greve geral.

A ideia de uma nova paralisação, como a da última segunda-feira, é apoiada pelos participantes. O objetivo é principalmente conseguir mobilizar o setor dos transportes públicos, para que o governo se sinta pressionado a ouvir as reivindicações dos manifestantes.

Governo promete não ceder

À RFI militantes explicam que o governo realiza coletivas de imprensa, investe na comunicação contra o movimento, mas não responde a nenhum dos principais pedidos dos manifestantes, cujo projeto de lei que prevê extradições para a China, continua no topo da lista.

A demissão da chefe de governo Carrie Lam é outra das principais reivindicações. Os militantes querem o direito de escolher seu representante através de eleições diretas. Atualmente, o governo chinês é quem indica o chefe de governo de Hong Kong.

Duramente reprimidos pela polícia, os militantes também pedem uma investigação independente sobre a violência utilizada para dispersar os protestos. Já a China recomenda a Hong Kong o endurecimento das ações policiais durante as mobilizações, enquanto Lam se recusa a fazer qualquer concessão aos manifestantes.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Davos assiste choque entre Greta Thunberg e Trump sobre o clima

A 50ª edição do Fórum Econômico Mundial de Davos começou nesta terça-feira (21) na Suíça dominada pelos debates sobre as mudanças climáticas. Pelo segundo ano consecutivo, a jovem ativista sueca Greta Thunberg foi convidada a …

China proibirá plástico não biodegradável

País asiático quer reduzir o uso de produtos como talheres e sacolas descartáveis em 30% até 2025. Plano prevê proibições escalonadas em hotéis, restaurantes e serviços de entrega do comércio eletrônico em áreas urbanas. As autoridades …

Inteligência artificial está sendo usada para combater extinção de pinguins

Uma tecnologia de inteligência artificial está sendo determinante no combate à extinção de pinguins no mundo. A ferramenta está sendo utilizada pela Gramener, empresa membro Intel AI Builder, que, a partir de imagens de regiões …

Criaram um escape room baseado em La Casa de Papel

As empresas Fever Originals, Atresmedia e Enigma Exprés criaram um escape room na Espanha baseado em “La Casa de Papel“. Mais de 80 mil pessoas participaram da primeira temporada do desafio. Vestidos com os uniformes e …

Guaidó desafia proibição de deixar Venezuela e inicia giro internacional em busca de apoio

O opositor venezuelano Juan Guaidó voltou a desafiar a proibição de deixar o país. O autoproclamado presidente interino viajou para a Colômbia, antes de seguir para Bélgica e Suíça. Ele pretende participar do Fórum …

FMI prevê melhora para economia brasileira, apesar da redução do crescimento mundial

O Fundo Monetário Internacional reduziu nesta segunda-feira (20) sua expectativa de crescimento global para este ano. A instituição é mais otimista sobre a situação do Brasil, que deve crescer nos próximos anos. O FMI disse …

Harry diz estar triste por deixar deveres reais

O príncipe Harry falou neste domingo (19/01) de sua tristeza por ser obrigado a desistir de seus deveres reais em um acordo com a família real britânica, dizendo não haver outra opção se ele e …

Ultrassom destrói células cancerosas

Cientistas do Instituto de Tecnologia da Califórnia e do Instituto de Pesquisa Beckman da Cidade da Esperança desenvolveram uma técnica de ultrassom direcionado de baixa intensidade que mata células cancerígenas sem afetar as células saudáveis …

Robôs são maior ameaça à humanidade que mudança climática, segundo especialista

Especialista em inteligência artificial acredita que robôs podem ser hackeados por terroristas, além de outros problemas, tornando-os potencialmente perigosos para o homem. Se por um lado a tecnologia pode ajudar o homem em suas tarefas do …

Sem capacidade para reciclar, Malásia devolve lixo para países desenvolvidos

A Malásia devolveu 150 contêineres de lixo ilegal para seus países de origem. Entre eles estão os Estados Unidos, a França, o Reino Unido e o Canadá, anunciaram as autoridades nesta segunda-feira (20). Segundo …