Primeiro avião de ajuda do G7 para combater fogo na Amazônia decola do Paraguai

(h) Mato Grosso Firefighters / EPA

Um primeiro hidroavião financiado pela ajuda de emergência do G7 decolou nesta quinta-feira (29) no Paraguai para ajudar a combater os incêndios florestais na Floresta Amazônica, em coordenação com o Chile.

Outros aviões decolarão da região nas próximas horas para combater os incêndios na Bolívia, país que já perdeu 1,2 milhão de hectares de florestas e pastagens ao longo deste ano, indicou a Presidência francesa.

As operações financiadas pelos países do G7, que anunciou um desbloqueio de emergência de 20 milhões de dólares, estão sendo coordenados por Santiago.

Por ora, não está previsto o envio de hidroaviões ao Brasil, à espera de que o presidente Jair Bolsonaro autorize esta ação.

Bolsonaro condicionou o recebimento de ajuda do G7 para combater os incêndios na floresta amazônica a uma retração por parte do presidente francês, Emmanuel Macron, quanto a seus “insultos” nas declarações que questionaram a capacidade do Brasil de preservar essa região fundamental para o planeta.

Brasil proíbe queimadas

O Brasil proibiu as queimadas em campos e florestas por dois meses para tentar acabar com os incêndios na Amazônia, uma medida recebida com ceticismo diante da magnitude de um fenômeno que provocou uma crise ambiental e diplomática.

O decreto, válido por dois meses a partir desta quinta-feira (29), foi assinado pelo presidente Bolsonaro, questionado por seu apoio à expansão das atividades agrícolas e de mineração em territórios indígenas e áreas protegidas da maior floresta tropical do planeta.

A questão causa preocupação internacional. O secretário-geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, levantou a possibilidade de organizar uma reunião específica à margem da Assembleia Geral da ONU em setembro sobre a Amazônia, onde “a situação é obviamente muito séria”.

O governo brasileiro, que mobilizou mais de 3.900 militares e brigadas, centenas de veículos e 18 aeronaves, disse na quarta-feira (28) à noite que os focos de incêndio estavam diminuindo, sem fornecer números.

Dados de satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que de terça a quarta-feira houve 1.628 novos focos, totalizando 84.957 desde janeiro, mais da metade deles (51,8%) na floresta amazônica. Esse número marca um aumento de 75% em relação ao mesmo período do ano passado e é um recorde de incêndios desde 2010.

Desmatamento

O país está na estação seca, mas especialistas dizem que o aumento dos incêndios se deve principalmente ao aumento do desmatamento impulsionado pela indústria madeireira e pelas atividades agropecuárias.

É muito difícil acreditar que [o decreto] tenha um impacto imediato no terreno. Quem queima sem licença não o respeitará”, disse Rodrigo Junqueira, porta-voz do Instituto Socioambiental (ISA), uma entidade científica não governamental focada em projetos sociais e ambientais.

Além disso, “a fiscalização não será mobilizada, depois de todo o desmonte do aparato ambiental”, acrescentou, em referência às medidas do governo que debilitaram as instituições encarregadas da tarefa. “O problema não é a proibição, mas o cumprimento da lei”, afirmou em nota a ONG WWF.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Joe Biden reverterá políticas trumpistas logo após posse

Já nas primeiras horas após assumir, novo chefe de Estado americano assinará uma série de decretos presidenciais abordando pandemia, dificuldades da economia nacional, injustiça racial e mudança climática. O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, …

Rússia prende opositor Alexei Navalny no desembarque em Moscou

O Serviço Prisional Russo (FSIN) confirmou ter prendido o opositor Alexei Navalny neste domingo, na chegada dele a Moscou. O Kremlim o acusa de ter violado as condições de uma pena de prisão suspensa …

Ikea agora vende mini casas móveis para quem quer uma vida simples, livre e sustentável

Quem sonha com uma vida mais nômade, livre de amarras e principalmente ecologicamente correta poderá encontrar na IKEA uma parceira capaz de tornar tal sonho em realidade: em uma casa móvel, sustentável, bonita e praticamente …

O zumbido de fundo do universo pode ter sido ouvido pela primeira vez

Baseado no que sabemos sobre ondas gravitacionais, o Universo deve estar cheio delas. Cada par de buracos negros ou estrelas de nêutrons e colisão, cada supernova com núcleo em colapso — até mesmo o próprio …

"Não comemorei ou me orgulhei de ter banido Trump do Twitter", diz Jack Dorsey

Em uma série de tuítes, Jack Dorsey, cofundador e CEO do Twitter, defendeu o banimento de Donald Trump da rede social na última sexta-feira (8). Segundo o executivo, essa foi a medida certa para a …

EUA adicionam Xiaomi e mais 8 empresas chinesas à lista de companhias ligadas a militares

Departamento de Defesa dos EUA lista Xiaomi e mais oito empresas por ligações com militares chineses. Para analistas, a listagem é um "frenesi final" do governo Trump em sua campanha anti-China. Na quinta-feira (14), o Departamento …

Petrobras é a segunda maior do mundo em operações no oceano

Entre as 100 maiores corporações transnacionais que operam nos oceanos mundo afora, a Petrobras aparece em segundo lugar. A lista, divulgada nesta quarta-feira (13/01), é parte de uma pesquisa publicada na renomada revista Science Advances, …

Estudo detecta pela 1ª vez em que resulta colisão de 3 buracos negros

Um novo estudo da agência espacial norte-americana NASA revela novas informações sobre o que acontece após colisões entre três buracos negros supermassivos. Com a ajuda do Observatório de Raios X Chandra, da NASA, e vários outros …

5 razões por que 2021 pode ser um ano crucial na luta contra o aquecimento global

O mundo tem um tempo limitado para agir de modo a evitar os piores efeitos das mudanças climáticas. A pandemia de covid-19 foi o grande problema de 2020, sem dúvida, mas espera-se que, até o final …

Supremo da Coreia do Sul confirma 20 anos de prisão para ex-presidente

O Supremo Tribunal confirmou hoje a condenação a 20 anos de prisão pronunciada em 2017 contra a ex-presidente Park Geun-hye, destituída nesse mesmo ano depois de ser reconhecida culpada de corrupção e abuso de poder. …