Sanduíches prejudicam tanto o meio ambiente quanto os carros

O consumo anual de sanduíches tem o mesmo impacto negativo para o meio ambiente que o uso de mais de 8 milhões de carros. A conclusão vem do Reino Unido, em um estudo da Universidade de Manchester.

A pesquisa realizada por cientistas da universidade britânica analisou a pegada de carbono de 40 tipos diferentes de sanduíches, o tipo de alimento privilegiado pelos britânicos na hora do almoço.

O comunicado da Universidade de Manchester sobre o estudo cita dados da Associação Britânica do Sanduíche para notar que se consomem no Reino Unido, anualmente, 11,5 bilhões de sanduíches.

O consumo anual gera, “em média, 9,5 milhões de toneladas de dióxido de carbono” que equivalem ao “uso anual de 8,6 milhões de carros“, destaca a professora e pesquisadora Adisa Azapagic, da Escola de Engenharia Química e de Ciências Analíticas da Universidade de Manchester.

O estudo analisou todo o ciclo de vida dos sanduíches, desde a produção dos ingredientes, passando pela confecção e embalagem, até a refrigeração e ao desperdício.

As conclusões indicam que as piores sanduíches para o ambiente, em termos de pegadas de carbono mais altas, são as de carne de porco, que contêm bacon, presunto ou salsichas, e as que contêm queijo ou camarão.

Em termos de receitas de sanduíches analisados, as que têm mais impacto negativo são as feitas com ovos, bacon e salsichas, cujo processo, desde a produção ao consumo, gera efeitos negativos semelhantes aos de um carro circulando 19 quilômetros.

Já os menos prejudiciais, com menores emissões de gases de carbono, são os sanduíches caseiros simples de presunto e de queijo.

Os pesquisadores notam que a confecção dos sanduíches em casa “pode reduzir as emissões de carbono pela metade, em comparação com equivalentes pré-fabricados”.

A refrigeração dos sanduíches nos hipermercados, bem como a embalagem e o transporte, aumentam as pegadas de carbono. Mas a produção agrícola e o processamento dos ingredientes são os fatores que mais contribuem para o impacto negativo.

Para reduzir os efeitos prejudiciais, os autores do estudo apontam uma mistura de várias medidas na confecção, ao embalar e no desperdício de ingredientes. E uma das soluções apresentadas é prolongar o prazo de validade dos sanduíches. “Precisamos mudar a etiquetagem da comida para aumentar o prazo de validade, já que estes são, habitualmente, bastante conservadores”, nota Adisa Azapagic.

“Os sanduíches comerciais passam por rigorosos testes de vida útil e são, normalmente, seguros para consumo para além do prazo de validade colocado nos rótulos”, afirma a pesquisadora.

Outras sugestões passam pela redução do uso de ingredientes como a carne, o queijo, a alface e o tomate, que aumentam a pegada de carbono.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …

Pessoas feias superestimam drasticamente suas aparências

Pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência. Não faltam disparidades entre pessoas atraentes e pouco atraentes. Estudos mostram que os mais belos entre nós …

Noruega acusa Pequim de ciberataque contra serviços do governo

Pela primeira vez na história, o Serviço de Segurança Policial da Noruega (PST, na sigla em inglês) identificou a China como sendo responsável por um ataque hacker contra as autoridades do país nórdico. A agência de …

China supera marca de 1 bilhão de vacinas contra a covid-19 aplicadas

Quantia representa mais de um terço das doses aplicadas no mundo. Após início lento da imunização, autoridades chinesas querem vacinar completamente 40% da população até o final de junho. O número de doses de vacinas contra …

Brasileiros protestam no exterior contra Bolsonaro e gestão da epidemia

Dezenas de milhares de pessoas tomaram as ruas de várias capitais brasileiras neste sábado para protestar contra o presidente Jair Bolsonaro e sua gestão da pandemia, que já deixou mais de meio milhão de …

Relíquia do Jurássico: descoberto animal marinho cuja espécie vive há 180 milhões de anos

Um grupo de pesquisadores descreveu uma nova espécie de ofíuros – um animal marinho parecido com as estrelas-do-mar, que recebeu o nome de Ophiojura, informou nesta quinta-feira (17) Tim O’Hara, curador dos Museus Victoria (Austrália) …