Os dias estão mais longos por causa do degelo dos polos

(cv) NASA Goddard / YouTube

Um estudo exaustivo sobre os dados do nível do mar de 1958 a 2014 revela, entre outras coisas, que os dias se tornaram maiores na Terra como resultado da fusão do gelo.

O pesquisador da Universidade de Tecnologia de Delft, Thomas Frederikse, estabeleceu que o aumento médio nos níveis do mar em todo o mundo tem acelerado. E não é só isso. O estudo também indica que os dias na Terra se tornaram maiores (com cerca de mais 0,2 milissegundos nos últimos 25 anos) como resultado da fusão do gelo da terra.

A fusão causa o desaparecimento da massa em forma de gelo, principalmente na Groenlândia e Antártida, que se move na direção do equador como água líquida.

Isso produz ligeiras alterações na distribuição da massa da Terra: “Assim como um patinador artístico que estica os braços durante uma pirueta, isto faz com que a Terra gire um pouco mais lentamente. Por isso, os dias duram mais agora”, explica o cientista.

Por outro lado, o aumento dos níveis do mar não é o mesmo em todo o mundo. Há diferenças regionais significativas. Frederikse levou a cabo um estudo exaustivo sobre os dados de 1958 a 2014.

“Todos os fatores têm um papel importante, como por exemplo, o derretimento do gelo terrestre, a expansão da água do mar causada pelo aumento das temperaturas, mas também o uso de águas subterrâneas e o armazenamento de grandes quantidades de água doce em depósitos interiores”, aponta Frederikse.

O autor do estudo, que ainda não foi publicado em uma revista científica ou revisto por pares, aponta outro fator conhecido como ajuste isostático glacial (GIA), ou seja, o “salto” da Terra depois das idades do gelo.

“Devido a todos esses fatores, não há apenas um lugar na Terra onde o nível do mar coincida exatamente com a média global. Para compreender os padrões regionais e poder desenvolver os cenários regionais futuros é necessária uma boa compreensão dos processos subjacentes relevantes e os padrões regionais associados”, afirmou o cientista.

Frederikse refere a importância dos satélites para o campo de estudo: “Agora é possível estimar com precisão as mudanças locais e globais nos níveis do mar com a ajuda de satélites. Antes, tínhamos apenas medições locais do nível do mar num número limitado de lugares à nossa disposição”.

O pesquisador continua: “O aumento do nível do mar foi estudado em duas regiões costeiras em escala mundial. Os processos físicos que tivemos em conta foram a perda de massa nos glaciares e as camadas de gelo, o esgotamento dos depósitos de água subterrânea, a retenção de água por presas, o GIA, as mudanças no volume específico de água de mar, efeitos de vento local e as mudanças na pressão do ar”.

Assim, os cientistas puderam desvendar e modelar com precisão todas as diferentes influências sobre o Mar do Norte, por exemplo.

No período entre 1958 e 2014, o aumento nos níveis do mar foi “apenas” de cerca de oito centímetros. Isso é comparável ao aumento mundial médio no mesmo período, que é aproximadamente de 1,5 milímetros por ano, mas as causas aqui subjacentes são diferentes, explica o cientista.

“O derretimento dos glaciares e da Groenlândia quase não tem efeito aqui. No entanto, quando se trata da Antártida, recebemos a explosão completa. Isso é uma boa notícia para nós por que a camada de gelo na Antártida poderia perder muita massa em um mundo mais quente no futuro”.

Com a ajuda de satélites, neste momento é possível explicar os aumentos do nível do mar em quase todos os oceanos. Ainda que a questão seja complexa, agora compreendemos bem a maioria dos fatores em jogo.

Como resultado, os modelos e as previsões são melhores, o que é bom. A imagem emergente é o aumento do nível do mar e uma aceleração significativa neste processo com consideráveis diferenças regionais. Isto não é apenas modelado, as medições demonstram que esse cenário já está acontecendo. “Essa é a má notícia”, conclui Fredrikse.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Carro voador da NASA levanta voo pela primeira vez; veja como foi

A NASA anunciou que os testes com o eVTOL (veículo elétrico voador com decolagem vertical) mais promissor do mercado foram bem-sucedidos. Desenvolvido pela Joby Aviation, o carro voador experimental realizou uma série de procedimentos para coleta …

Mudanças climáticas: cientistas treinam vacas para usar banheiro contra aquecimento global

Vacas podem ser treinadas para usar um banheiro para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, segundo uma experiência realizada na Alemanha por pesquisadores alemães e da Nova Zelândia. No estudo, os cientistas treinaram os …

Reprovação a Bolsonaro volta a subir, afirma Datafolha

O Instituto Datafolha apurou que a reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro aumentou ainda mais, passando para 53% entre as pessoas consultadas, segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (17/02) pelo jornal Folha de S. …

Empresa norueguesa assegura que pode 'eliminar' furacões antes que se tornem destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de cortina de bolhas proposto pela empresa poderia ela própria provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, startup norueguesa, assegura que sua tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem poderosos …

Limitar aquecimento global a 1,5ºC exige redução drástica de gases poluentes, mostra relatório

Manter a temperatura da Terra a 1,5°C será impossível sem uma redução massiva das emissões de gases poluentes. É o que mostra um novo relatório divulgado pela ONU nesta quinta-feira (16). O documento "United …

Alemanha libera entrada para brasileiros que apresentem teste negativo

A Alemanha vai deixar de considerar o Brasil como área de alto risco na pandemia do novo coronavírus a partir deste domingo, anunciou nesta sexta-feira (17/09) o Instituto Robert Koch (RKI), a agência governamental alemã …

Assembleia-Geral da ONU: exigência de vacina ainda não está decidida, mas é improvável que Bolsonaro seja barrado

Perdeu força a possibilidade de que líderes de países tenham que comprovar que se vacinaram contra a covid-19 para participar da 76ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece na semana que vem …

Submarinos: França perde o "contrato do século" para a Austrália, que opta por EUA e Reino Unido

O jornal econômico Les Echos estampa em sua primeira página desta quinta-feira (16) uma notícia, ainda no condicional, que se concretizaria durante a madrugada: "A Austrália desiste de uma encomenda de 12 submarinos franceses …

VSR: o pouco conhecido vírus que se espalha entre crianças no mundo e também no Brasil

No início de 2021, a equipe do Hospital Infantil de Maimonides, no Brooklyn, em Nova York (EUA), começou a experimentar uma cautelosa sensação de alívio. Os casos de covid-19 na cidade estavam em queda. Como …

Com popularidade em queda, premiê britânico Boris Johnson reforma equipe de governo

Após semanas de boatos, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, decidiu modificar o governo nesta quarta-feira para formar uma "equipe unida" e enfrentar os desafios depois de um ano e meio de pandemia e em …