Ratos-toupeira-pelados têm mais um “superpoder” (igualmente invejável)

Smithsonian's National Zoo / Flickr

Heterocephalus glaber, também conhecido por rato-toupeira-nu

Eles podem até parecer um saco de peles completamente arruinado, mas têm superpoderes completamente bizarros (e que nós invejamos), como imunidade completa ao câncer.

Além de sobrevivem quase 20 minutos sem oxigênio e resistentes ao câncer e à dor, os cientistas descobriram que estes feios animais também não envelhecem. Ou, por outras palavras, sua probabilidade de morte não aumenta com o passar dos anos. O estudo com as revelações foi publicado na semana passada no jornal eLife.

Pelo contrário em qualquer outra espécie de mamífero, o risco de morte aumenta com o passar do tempo. No entanto, isso não acontece com os ratos-toupeira-pelados – ou Heterocephalus glaber, seu nome científico –, uma espécie de roedor que vive por baixo dos desertos da África Ocidental.

A mortalidade nestes ratos, geralmente, segue a lei da mortalidade Gompertz-Makeham, uma equação matemática que descreve o aumento da taxa de mortalidade junto com o aumento da idade após se tornarem adultos.

Nos humanos, o risco quase dobra a cada ano a partir dos 30. Mas para estes roedores enrugados, isto funciona de forma totalmente diferente.

“Para mim, esses são os dados mais empolgantes que já tive acesso“, disse Rochelle Buffenstein da Calico, uma companhia independente de biotecnologia de combate ao envelhecimento e doenças associadas da Google. “Vai contra tudo o que sabemos em termos de biologia de mamíferos”.

Buffenstein tem estudado esse tipo de rato por mais de 30 anos e documentou, cuidadosamente, cada morte dos ratos que esteve aos seus cuidados.

Depois de estudar os registros de 3.229 ratos-toupeira-pelados, a pesquisadora descobriu que o risco de mortalidade permaneceu em cerca de um em cada 10 mil para o resto das vidas dos ratos.

Os ratos-toupeira-pelados atingem a maturidade sexual aos seis meses de idade. Com base no seu tamanho, sua expectativa média de vida em laboratório é de seis anos. Mas alguns vivem para além dos 30.

“Nossa pesquisa demonstra que esses ratos não envelhecem da mesma forma que outros mamíferos, e, na verdade, mostram entre poucos a nenhum sinal de envelhecimento. Além disso, seu risco de envelhecimento não chega a aumentar 25% passado o seu tempo para a maturidade reprodutiva”, disse Buffenstein.

“As descobertas reforçam nossa crença de que os ratos-toupeira-pelados são animais excepcionais para estudar, para compreendermos melhor os mecanismos biológicos da longevidade”, afirma a cientista.

Não se sabe, por enquanto, como esses roedores são tão bons “em viver”. Um estudo de 2009 propôs, no entanto, várias causas – proteínas estáveis se desdobram menos do que em modelos de ratos e têm menos oxidação do que a observada em outros mamíferos.

Serão necessárias mais pesquisas em animais com mais idade para verificar se a tendência se mantém após os 30 anos.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Carro voador da NASA levanta voo pela primeira vez; veja como foi

A NASA anunciou que os testes com o eVTOL (veículo elétrico voador com decolagem vertical) mais promissor do mercado foram bem-sucedidos. Desenvolvido pela Joby Aviation, o carro voador experimental realizou uma série de procedimentos para coleta …

Mudanças climáticas: cientistas treinam vacas para usar banheiro contra aquecimento global

Vacas podem ser treinadas para usar um banheiro para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, segundo uma experiência realizada na Alemanha por pesquisadores alemães e da Nova Zelândia. No estudo, os cientistas treinaram os …

Reprovação a Bolsonaro volta a subir, afirma Datafolha

O Instituto Datafolha apurou que a reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro aumentou ainda mais, passando para 53% entre as pessoas consultadas, segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (17/02) pelo jornal Folha de S. …

Empresa norueguesa assegura que pode 'eliminar' furacões antes que se tornem destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de cortina de bolhas proposto pela empresa poderia ela própria provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, startup norueguesa, assegura que sua tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem poderosos …

Limitar aquecimento global a 1,5ºC exige redução drástica de gases poluentes, mostra relatório

Manter a temperatura da Terra a 1,5°C será impossível sem uma redução massiva das emissões de gases poluentes. É o que mostra um novo relatório divulgado pela ONU nesta quinta-feira (16). O documento "United …

Alemanha libera entrada para brasileiros que apresentem teste negativo

A Alemanha vai deixar de considerar o Brasil como área de alto risco na pandemia do novo coronavírus a partir deste domingo, anunciou nesta sexta-feira (17/09) o Instituto Robert Koch (RKI), a agência governamental alemã …

Assembleia-Geral da ONU: exigência de vacina ainda não está decidida, mas é improvável que Bolsonaro seja barrado

Perdeu força a possibilidade de que líderes de países tenham que comprovar que se vacinaram contra a covid-19 para participar da 76ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece na semana que vem …

Submarinos: França perde o "contrato do século" para a Austrália, que opta por EUA e Reino Unido

O jornal econômico Les Echos estampa em sua primeira página desta quinta-feira (16) uma notícia, ainda no condicional, que se concretizaria durante a madrugada: "A Austrália desiste de uma encomenda de 12 submarinos franceses …

VSR: o pouco conhecido vírus que se espalha entre crianças no mundo e também no Brasil

No início de 2021, a equipe do Hospital Infantil de Maimonides, no Brooklyn, em Nova York (EUA), começou a experimentar uma cautelosa sensação de alívio. Os casos de covid-19 na cidade estavam em queda. Como …

Com popularidade em queda, premiê britânico Boris Johnson reforma equipe de governo

Após semanas de boatos, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, decidiu modificar o governo nesta quarta-feira para formar uma "equipe unida" e enfrentar os desafios depois de um ano e meio de pandemia e em …