Ratos-toupeira-pelados têm mais um “superpoder” (igualmente invejável)

Smithsonian's National Zoo / Flickr

Heterocephalus glaber, também conhecido por rato-toupeira-nu

Eles podem até parecer um saco de peles completamente arruinado, mas têm superpoderes completamente bizarros (e que nós invejamos), como imunidade completa ao câncer.

Além de sobrevivem quase 20 minutos sem oxigênio e resistentes ao câncer e à dor, os cientistas descobriram que estes feios animais também não envelhecem. Ou, por outras palavras, sua probabilidade de morte não aumenta com o passar dos anos. O estudo com as revelações foi publicado na semana passada no jornal eLife.

Pelo contrário em qualquer outra espécie de mamífero, o risco de morte aumenta com o passar do tempo. No entanto, isso não acontece com os ratos-toupeira-pelados – ou Heterocephalus glaber, seu nome científico –, uma espécie de roedor que vive por baixo dos desertos da África Ocidental.

A mortalidade nestes ratos, geralmente, segue a lei da mortalidade Gompertz-Makeham, uma equação matemática que descreve o aumento da taxa de mortalidade junto com o aumento da idade após se tornarem adultos.

Nos humanos, o risco quase dobra a cada ano a partir dos 30. Mas para estes roedores enrugados, isto funciona de forma totalmente diferente.

“Para mim, esses são os dados mais empolgantes que já tive acesso“, disse Rochelle Buffenstein da Calico, uma companhia independente de biotecnologia de combate ao envelhecimento e doenças associadas da Google. “Vai contra tudo o que sabemos em termos de biologia de mamíferos”.

Buffenstein tem estudado esse tipo de rato por mais de 30 anos e documentou, cuidadosamente, cada morte dos ratos que esteve aos seus cuidados.

Depois de estudar os registros de 3.229 ratos-toupeira-pelados, a pesquisadora descobriu que o risco de mortalidade permaneceu em cerca de um em cada 10 mil para o resto das vidas dos ratos.

Os ratos-toupeira-pelados atingem a maturidade sexual aos seis meses de idade. Com base no seu tamanho, sua expectativa média de vida em laboratório é de seis anos. Mas alguns vivem para além dos 30.

“Nossa pesquisa demonstra que esses ratos não envelhecem da mesma forma que outros mamíferos, e, na verdade, mostram entre poucos a nenhum sinal de envelhecimento. Além disso, seu risco de envelhecimento não chega a aumentar 25% passado o seu tempo para a maturidade reprodutiva”, disse Buffenstein.

“As descobertas reforçam nossa crença de que os ratos-toupeira-pelados são animais excepcionais para estudar, para compreendermos melhor os mecanismos biológicos da longevidade”, afirma a cientista.

Não se sabe, por enquanto, como esses roedores são tão bons “em viver”. Um estudo de 2009 propôs, no entanto, várias causas – proteínas estáveis se desdobram menos do que em modelos de ratos e têm menos oxidação do que a observada em outros mamíferos.

Serão necessárias mais pesquisas em animais com mais idade para verificar se a tendência se mantém após os 30 anos.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Identificada a causa da maior extinção em massa na história da Terra

A vida na Terra tem uma história longa, mas também extremamente turbulenta. Em mais de uma ocasião, a maioria de todas as espécies foi extinta e uma biodiversidade já altamente desenvolvida reduziu para um mínimo …

Cães farejadores de covid: eficazes e baratos, mas esnobados

A Europa está em pânico em meio ao segundo surto de covid-19, com taxas de contágio explodindo e os PIBs despencando. A Bélgica acaba de anunciar que não mais testará cidadãos assintomáticos, mesmo que tenham …

Bolsonaro é avaliado positivamente por 37% da população, diz pesquisa

Entre os que souberam do dinheiro na cueca do senador Chico Rodrigues (52%), 74% não mudaram sua avaliação sobre o presidente Bolsonaro. Os que mais mudaram de opinião foram os pesquisados com ensino superior (26%) …

Tribunal Constitucional da Polônia invalida direito ao aborto por malformação do feto

O Tribunal Constitucional da Polônia invalidou nesta quinta-feira (22) uma disposição que permitia a interrupção voluntária da gravidez (IVG) em caso de malformação do feto. Uma vez que a decisão entre em vigor, apenas o …

Estudo descobre 1,8 bilhão de árvores no deserto do Saara e no Sahel

Um estudo publicado na revista Nature descobriu que na região do Saara Ocidental e no Sahel, há mais de um bilhão de árvores. No meio da aridez do local, a surpreendente descoberta colocou um novo …

Guerra Fria 2.0 entre EUA e China será uma batalha tecnológica, dizem especialistas

A batalha mundial pelo domínio da alta tecnologia está cada vez mais centrada em EUA e China. Com confronto aberto no caso da Huawei, especialistas do clube Valdai alertam para uma longa guerra fria tecnológica …

Combate à corrupção reduz mortalidade infantil, aponta estudo

Auditorias anticorrupção realizadas em municípios brasileiros entre 2003 e 2015 reduziram a mortalidade infantil. Esta é a principal conclusão de um estudo, conduzido por pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, que relacionou o …

2.300 maneiras de prevenir o Covid-19 foram mapeadas por universidade brasileira

Está disponível online a Plataforma das Universidades contra COVID-19 organizada pelo Projeto Ciência Popular e desenvolvida em parceria com a Empresa Júnior de Sistemas de Informação da EACH/USP (Síntese Jr.). Em setembro havia sido publicado o …

Debate nos EUA: Trump não disse nada de novo para reverter vantagem de Biden, diz historiador

O segundo e último debate entre o presidente americano, Donald Trump, e seu rival democrata Joe Biden, nesta quinta-feira (22), em Nashville, foi mais civilizado do que a primeira confrontação entre os dois candidatos …

Mais humanos estão evoluindo para ter três artérias nos braços; entenda porquê

Não se engane ao achar que o corpo humano não está em constante evolução. Pesquisadores australianos descobriram recentemente que o nosso organismo parece estar, aos poucos, desenvolvendo uma nova artéria no braço: a artéria mediana. Esse …