Pesquisadores desenvolvem aplicativo para evitar mortes por selfies em locais perigosos

O sistema possui 73% de precisão quando se trata de olhar uma selfie e caracterizá-la como potencialmente perigosa ou não.

Mortes acidentais sempre existiram, e sempre irão acontecer. Porém, de alguns anos para cá, um número de acidentes fatais causados por selfies em locais perigosos aumentou muito. Em 2014, 15 pessoas morreram enquanto tiravam uma selfie. O número subiu para 39 pessoas em 2015. Neste ano, as mortes já somam 73.

Como podemos perceber, os números mostram por si só os resultados de uma selfie perigosa. Por essa razão, o assunto já virou tema de pesquisa, e um novo projeto desenvolvido na Índia, o país com maior número de mortos devido a selfies no mundo, pretende encontrar uma solução para o fato.

A ideia é desenvolver um algoritmo com inteligência artificial capaz de identificar se o usuário está em um local potencialmente perigoso para suas selfies. No caso, o sistema envia uma pontuação para qualificar o nível de perigo ao qual ele está exposto.

Ponnurangam Kumuraguru, professor do Instituto Indraprastha de Tecnologia da Informação em Delhi, disse que as pesquisas começaram a partir de uma morte causada por uma selfie no verão de 2016.

“Fiquei perturbado ao ler, troquei alguns e-mails sobre este assunto e descobri que pouco trabalho – especialmente do ponto de vista tecnológico – tinha sido realizado”, lembra.

O professor integra um grupo interessado em trabalhar com “tecnologias, soluções e sistemas que tenham impacto no mundo real”, por essa razão, lançaram um projeto para resolver a questão.

Inicialmente, os envolvidos começaram a pesquisar sobre os registros de mortes relacionadas a selfies desde março de 2014.

Eles descobriram que tais mortes vão desde queda até afogamentos, ferimentos com armas de fogo e ainda mortes relacionadas com trens. Mais da metade dos casos aconteceram na Índia (76), em seguida no Paquistão (9), os EUA (8) e Rússia (6).

Um sistema de inteligência artificial foi treinado para analisar 3.155 selfies coletadas no Twitter, para que ele possa captar se a imagem poderia ser perigosa ou não.

“Uma das direções que estamos trabalhando é que a câmera possa dar ao usuário informações sobre o quanto um lugar específico é perigoso ou não, com alguma pontuação anexada”.

O sistema possui 73% de precisão quando se trata de olhar uma selfie e caracterizá-la como potencialmente perigosa ou não. A pesquisa é pioneira nesta questão e ainda não há uma previsão de quando o algoritmo será transformado em um aplicativo.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Bolsonaro reforça que brasileiro não será obrigado a tomar vacina contra a COVID-19

Declaração do presidente acontece três dias depois de o governador João Doria informar que vacinação será obrigatória no estado de São Paulo. O presidente Jair Bolsonaro reforçou hoje (19) na saída do Palácio da Alvorada o …

Engenheiros criam sabre de luz real de plasma retrátil de 2.200°C que corta aço

Os engenheiros por trás do canal do YouTube “The Hacksmith” criaram o sabre de luz de “Star Wars” no mundo real que é quente o suficiente para derreter aço e até titânio em segundos. James Hobson, …

Evo Morales comemora vitória de seu candidato, Luis Arce, à presidência na Bolívia

De La Paz, na Bolívia, o candidato a presidente Luis Arce e, de Buenos Aires, na Argentina, o ex-presidente Evo Morales comemoram vitória nas eleições tanto para presidente quanto para o Congresso, realizadas neste …

Síndrome provoca mudança na coloração dos olhos em população nativa da Indonésia

Em um país cujo a vasta maioria da população possui cabelos e olhos escuros, uma rara síndrome genética ofereceu aos membros de uma tribo nativa da Indonésia uma impressionante condição: os mais impactantes e profundos …

Aula de spinning em academia no Canadá contaminou 61 pessoas com a COVID-19

Academias não são locais recomendados neste momento de pandemia, mesmo que alguns estabelecimentos estejam reabrindo com todas as medidas de segurança adequadas. Prova disso aconteceu recentemente em Hamilton, na província de Ontario, no Canadá, quando uma …

Estrela supergigante vermelha Betelgeuse é menor e está mais próxima da Terra

A estrela supergigante vermelha Betelgeuse, uma das mais brilhantes, é menor e está mais próxima da Terra do que se acreditava. "Estudos anteriores sugeriram que poderia ser maior que a órbita de Júpiter. Nossos resultados dizem …

Ao tentar desativar uma bomba imensa a Marinha da Polônia acidentalmente a explode

Uma enorme bomba da Segunda Guerra Mundial explodiu durante uma delicada operação na terça-feira para desativar o dispositivo de cinco toneladas em um canal perto do Mar Báltico, mas ninguém foi ferido, afirmaram autoridades polonesas. O …

Candidato a vereador vai plantar uma árvore para cada voto que receber em Dourados

O combate às mudanças climáticas e ao desmatamento para Franklin Schmalz, candidato pelo PSOL a vereador na cidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul, é um compromisso direto e concreto, a ser posto em …

Líder nacionalista manobra para chegar ao poder após renúncia de presidente do Quirguistão

O presidente do Quirguistão, Sooronbai Jeenbekov, cedeu à pressão de manifestantes nacionalistas e anunciou sua renúncia nesta quinta-feira (15), após dez dias de uma crise política aberta pela vitória de dois partidos governistas nas …

Planetas semelhantes à Terra parecem ser "protegidos" por gigantes como Júpiter

A organização dos planetas rochosos não é aleatória e, ainda, parece depender de algumas condições iniciais — é o que indica um novo estudo feito por uma equipe internacional de astrônomos e liderado por Martin …